Isabel Coixet se torna primeira mulher a vencer duas vezes o Goya de Melhor Filme


A Academia de Cinema Espanhol consagrou a cineasta catalã Isabel Coixet com três prêmios Goya 2018. Ela venceu os troféus de Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Direção e Melhor Filme por “La Librería”, na cerimônia realizada na noite de sábado (3/1), em Madri, na Espanha.

Esta é apenas a terceira vez na história do Goya que um filme dirigido por uma mulher vence o prêmio máximo. E por coincidência, uma das vitórias anteriores tinha sido da própria Isabel Coixet, por “A Vida Secreta das Palavras” (2005), que assim se torna a primeira mulher a vencer duas vezes o troféu, considerado o Oscar espanhol.

“La Librería” (ou “The Bookshop”) é uma coprodução da Espanha com o Reino Unido, estrelada por atores britânicos, falada em inglês e ambientada na Inglaterra, em 1959. A trama gira em torno de uma mulher (Emily Mortimer) que decide abrir uma livraria, o que vira um ato político por causa da oposição da comunidade local. Ainda não há previsão de lançamento para o Brasil.

A vitória de Coixet enfatizou a mensagem de empoderamento feminino que deu o tom do evento, representada pela presença de leques vermelhos nas mãos de atrizes e profissionais de cinema com os dizeres “Mais Mulheres”, num protesto por maior reconhecimento ao trabalho feminino na indústria cinematográfica espanhola.

O prêmio de Melhor Diretor Estreante também foi para uma mulher: Carla Simón, por “Verão 1993”, história de uma menina órfã enviada para viver com os parentes no campo.

O drama chileno “Uma Mulher Fantástica”, de Sebastián Lelio, sobre as adversidades enfrentadas por uma mulher transexual, venceu como Melhor Filme Ibero-Americana. E o Goya de Melhor Filme Europeu foi para o sueco “The Square”, de Ruben Östlund. Ambos os filmes concorrem ao Oscar 2018.

Outro filme da premiação já exibido no Brasil, “As Aventuras de Tadeo 2: O Segredo do Rei Midas”, venceu como Melhor Animação.

Entre os demais, “Handia”, drama basco sobre o homem mais alto do mundo, dirigido pela dupla Aitor Arregi e Jon Garaño, levou a maior quantidade de troféus, varrendo as categorias técnicas. Confira abaixo a lista completa dos prêmios.

Vencedores do Goya 2018

Melhor Edição
Laurent Dufreche, Raul Lopez (“Handia”)

Melhor Desenho de Produção
Ander Sistiago (“Handia”)

Melhor Direção Artística
Mikel Serrano (“Handia”)

Melhor Figurino
Saioa Lara (“Handia”)

Melhor Cabelo e Maquiagem
Ainhoa Eskisabel, Olga Cruz, Gorka Aguirre (“Handia”)



Melhor Som
Aitor Berenguer (“Veronica”)

Melhor Trilha Sonora
Pascal Gaigne (“Handia”)

Melhor Canção
“Leiva” by Alexi Delano (“La Llamada”)

Melhores Efeitos Especiais
David Heras, Jon Serrano (“Handia”)

Melhor Animação
“As Aventuras de Tadeo 2: O Segredo do Rei Midas”

Melhor Documentário
“Muchos Hijos”

Melhor Filme Ibero-Americano
“Uma Mulher Fantástica”

Melhor Filme Europeu
“The Square”

Melhor Curta
“Madre”

Melhor Curta Documental
“Los Desheredados”

Melhor Curta Animado
“Woody & Woody”

Goya Honorário
Marisa Paredes


Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings