Debra Messing critica desigualdade salarial do canal E! ao vivo no tapete vermelho do Globo de Ouro

O momento mais embaraçoso do Globo de Ouro 2018 não foi o vestido vermelho da presidente da Associação da Imprensa Estrangeira de Hollywood em meio aos protestos de preto, ou as reclamações de Natalie Portman e Barbra Streisand sobre a falta de mulheres na disputa do prêmio de Melhor Direção. Ele aconteceu antes do anúncio dos vencedores, no tapete vermelho do evento.

Durante uma entrevista ao vivo do canal pago E!, a repórter/apresentadora Giuliana Rancic prestava solidariedade a Debra Messing (da série “Will & Grace”), enquanto a atriz falava sobre o movimento Time’s Up, apenas para se ver confrontada sobre a disparidade de salários dos funcionários de sua emissora. Messing abordou a recente demissão da apresentadora Catt Sadler, que decidiu deixar o canal após descobrir que ganhava muito menos que seu colega de trabalho masculino.

“Fiquei tão chocada ao ouvir que o E! não acredita em pagar o mesmo para suas apresentadoras femininas e apresentadores masculinos”, disse Messing. “Eu sinto falta de Catt Sadler… e estamos com ela. Isso é algo que pode mudar amanhã, você sabe? Queremos que as pessoas comecem a ter essa conversa de que as mulheres são tão valiosas quanto os homens”.

Ao que Guiliana acrescenta: “Absolutamente”.

Várias outras atrizes, incluindo Sarah Jessica Parker e Eva Longoria, mencionaram a controvérsia do E! durante as subseqüentes entrevistas que foram ao ar.

Veja abaixo a entrevista.

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna

Back to site top
Change privacy settings