Atores de It: A Coisa vão estrelar série de terror do diretor do filme

Três atores jovens de “It: A Coisa” vão voltar a trabalhar com o diretor do filme, Andy Muschietti, na série de terror “Locke & Key”.

Segundo o site Deadline, Jackson Robert Scott (o Georgie) e Megan Charpentier (a Gretta) viverão filhos da personagem de Frances O’Connor (“Invocação do Mal 2”) na produção da plataforma Hulu, enquanto Owen Teague (o Patrick) será Sam Lesser, um adolescente violento e problemático que mata seu próprio pai, vai até a casa dos Locke, mata o pai da família e depois espanca a mãe das crianças.

O piloto dirigido por Muschietti começa com este ato violento. Após o brutal assassinato de seu marido, Nina Locke (papel de O’Connor) e seus filhos mudam-se para Keyhouse, a antiga casa da família em Massachusetts. No local, eles são assombrados pela entidade do mal chamada Dodge, determinada a mantê-los presos de qualquer jeito até conseguir o que quer. Mas eles descobrem chaves que abrem portas capazes de transformar as pessoas, mudando a idade, a raça e o sexo de cada um que passa por elas.

“Locke & Key” é adaptação de quadrinhos homônimos de Joe Hill, filho do escritor Stephen King. A publicação foi indicada ao prêmio Eisner (o Oscar dos quadrinhos) em duas ocasiões, em 2009 e 2011, e na segunda ocasião venceu o prêmio de melhor roteiro.

Por sinal, não é a primeira vez que estes quadrinhos são cotados para virar série. Em 2011, a Fox encomendou uma adaptação a Alex Kurtzman, Roberto Orci (roteiristas de “Star Trek” e criadores da série “Fringe”) e Josh Friedman (criador da série “Terminator: The Sarah Connor Chronicles”). O elenco incluía Miranda Otto (série “24: Legacy”), Sarah Bolger (série “Into the Badlands”), Jesse McCartney (série “Greek”) e Nick Stahl (“O Exterminador do Futuro 3”) e o piloto foi dirigido pelo cineasta Mark Romanek (“Não Me Abandone Jamais”). Mesmo assim, a série foi recusada.

O detalhe é que o piloto acabou vazando e era excelente. O problema parece ter sido o timing: a produtora Fox lançou no mesmo ano “American Horror Story”, também passada numa casa mal-assombrada, no canal pago FX.

Desta vez, o piloto tem texto do próprio Joe Hill e produção de Carlton Cuse (séries “Bates Motel”, “The Strain” e “Colony”), além de direção de Andy Muschietti.

Mas para virar série, o piloto precisará ser aprovado.