Atriz de Game of Thrones revela os bastidores perigosos da batalha do último episódio

 

A batalha naval do segundo episódio da 7ª temporada de “Game Of Thrones” foi tão intensa para ser gravada quanto pareceu na tela. A atriz Jessica Henwick, intérprete de Nymeria Sand, revelou que a produção pegou literalmente fogo nos bastidores.

Em entrevista para a revista Entertainment Weekly, ela descreveu a gravação da cena como fisicamente “extenuante”, mencionando que sua dublê teve a peruca incendiada. “Eles atiraram brasas ardentes sobre nós, para que o público pudesse sentir em casa o calor da pirotecnia”, contou. “E o cenário ainda balançava, graças à máquina de ondas, que não nos deixava ficar em pé”, continuou. “O suor que escorria nos nossos rostos não foi efeito especial”.

Jessica quase não pôde participar da luta, porque estava gravando “Punho de Ferro”, em que interpreta a protagonista Colleen Wing, na mesma época da produção da 7ª temporada de “Game of Thrones”. Mas após receber uma ligação convincente dos dois produtores, Dan Weiss e David Benioff, conseguiu liberar dois fins de semana para sua participação.

Os planos eram para uma presença maior na trama, mas o tempo disponível fez com que o destino das Serpentes de Areia fosse concentrado numa sequência de impacto. Henwick, inclusive, disse ter ficado impressionada com a brutalidade da batalha.

“A primeira coisa que pensei era como era brutal. É difícil ler essas cenas em que os personagens que você ama são completamente demolidos. E, no nosso caso, por um cara louco. Eu sabia que seria muito intenso e muito físico. Eu estava excitada porque na página você podia sentir o alcance disso. E há um sentimento de missão cumprida ao conseguir finalizar seu arco.”

Um detalhe de como a sequência foi brutal passou muito rapidamente nas telas: os soldados de Euron Greyjoy arrancam as línguas de seus inimigos derrotados. A cena é uma referência aos livros de George R.R. Martin, que descrevem que esta era uma prática habitual das conquistas de Euron. Seu costume é escravizar os inimigos derrotados e lhes arrancar as línguas para que não reclamem. Depois, ainda exige que façam o mesmo com os próximos prisioneiros, ampliando o ciclo de violência.

Mas a experiência mais aterradora para Henwick foi sua última cena na série, não apenas pela forma como ela foi mostrada, mas pelas condições em que o registro aconteceu. “No meu último dia no set, estava congelando em Belfast, e eles estavam me encharcando de água e me pendurando nas alturas para minha última aparição. Além de frio e ventoso, houve um acidente no set e quase fui enforcada pelo chicote”.

Depois disso, ela pediu para levar o chicote de sua personagem para casa, e ninguém fez objeções.

Comente

Pedro Prado é cinéfilo, fã de séries e quadrinhos, fotógrafo amador e bom amigo da vizinhança.

Back to site top
Change privacy settings