Cate Blanchett negocia viver a primeira supervilã da Marvel em Thor: Ragnarok

Cate Blanchett negocia viver a primeira supervilã da Marvel em Thor: Ragnarok

 

A atriz Cate Blanchett, vencedora do Oscar por “Blue Jasmine” (2013), entrou em negociações finais para estrelar seu primeiro filme de super-heróis. Segundo o site Variety, ela deve integrar o elenco de “Thor – Ragnarok”, vivendo a primeira supervilã do universo cinematográfico da Marvel.

O estúdio ainda não se pronunciou a respeito de qual personagem a atriz vai interpretar, mas Thor tem uma boa coleção de vilãs, com destaque para as deusas Hela e Encantor.

“Thor – Ragnarok” já tem confirmada a presença de Mark Ruffalo, repetindo o papel de Hulk, que ele viveu em dois filmes dos Vingadores. E há também rumores sobre a participação da heroína Valquíria, asgardiana que integrou o grupo de heróis Os Defensores.

O filme também trará de volta Chris Hemsworth como Thor, Tom Hiddleston como Loki e Jaimie Alexander como Sif. Entretanto, os detalhes sobre como esses personagens se encontrariam, no contexto de uma viagem espacial, pertenciam ao vazamento de um antigo roteiro, escrito pela dupla Christopher Yost e Craig Kyle (roteiristas da série animada “Wolverine e os X-Men”).

Desde então, a Marvel dispensou essa trama e contratou uma nova escritora, a novata Stephany Folsom, que nunca teve nenhum roteiro filmado, mas já figurou na Black List (a lista dos melhores roteiros ainda não filmados) e recentemente desenvolveu um projeto de princesa para a Disney, dona da Marvel.

A direção está a cargo do comediante Taika Waititi, que tem no currículo a comédia sobre vampiros “What We Do in the Shadows”, inédita no Brasil, além das séries “Flight of the Conchords” e “The Inbetweeners”.

As filmagens estão marcadas para março na Austrália e a estreia prevista para 27 de julho de 2017.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna