Divulgação/Netflix

“Bom Dia, Verônica” vai exibir cenas de assédio de Klara Castanho

Quando Klara Castanho revelou em junho ter sido vítima de um estupro, depois de sofrer exposição de uma gravidez, houve muita preocupação com a participação da atriz na 2ª temporada de “Bom Dia, Verônica”, em que ela sofre assédio sexual.

Mas, ao final, suas cenas serão exibidas sem cortes. Os novos episódios já estavam gravados quando o caso veio à tona e, após análise, não foram submetidos a uma nova edição. Assim, os capítulos que chegam ao streaming nesta quarta (3/8) são exatamente os mesmos planejados originalmente para contar a história da personagem de Castanho.

A 2ª temporada da atração da Netflix troca o tema da violência doméstica, que marcou os episódios iniciais, pela violência sexual, aprofundando o abuso psicológico de homens dominadores. O ponto de partida é uma narrativa que lembra os crimes denunciados contra João de Deus, que já foi um dos médiuns mais famosos do Brasil, antes de ser condenado à prisão.

Em “Bom Dia, Verônica”, Klara Castanho dá vida à filha de um líder religioso (sem religião específica) interpretado por Reynaldo Gianecchini, que abusa sexualmente de mulheres ao prometer a elas a cura para diferentes mazelas. Dentro de casa, ele também assedia sexualmente a própria filha.

As cenas de assédio à personagem de Castanho não incluem agressões. Entre as diversas situações polêmicas, o pai fica nu diante da filha, pede a ela que sente em seu colo ou passa a mão sobre suas coxas. Depois disso, quando a garota substitui a mãe nos ditos rituais de cura, acaba presenciando as agressões sexuais do pai contra suas fiéis.

Os novos episódios vão revelar também que o personagem de Gianecchini é quem está por trás da perigosa organização criminosa da série, responsável por infiltrar aliados em cargos importantes na polícia e no judiciário. Na trama, a Verônica vivida por Tainá Müller tentará tornar públicos os crimes do vilão e da organização criminosa que ele comanda.

A gravação da 2ª temporada marcou um reencontro entre Klara e Tainá, que não trabalhavam juntas desde 2008, quando dividiram cenas na novela “Revelação”, exibida pelo SBT. Na ocasião, Klara tinha apenas oito anos e estava no início da carreira.

Produção da Zola Filmes, a série é baseada no romance policial de mesmo nome de Ilana Casoy e Raphael Montes (autores de “A Menina que Matou os Pais”), lançado originalmente sob o pseudônimo de Andrea Killmore. Os dois também escrevem e produzem a atração, concebida pelo próprio Raphael Montes.

Os novos episódios chegam ao streaming nesta madrugada, a partir das 4 horas.