Instagram/Matheus Baldi

SBT demite jornalista envolvido no caso Klara Castanho

O SBT demitiu o jornalista Matheus Baldi, que entrou no programa “Fofocalizando” em maio e ficou mais conhecido após aparecer no “Fantástico” como o responsável pelo vazamento da gravidez de Klara Castanho, vítima de estupro. Ele confirmou o corte nas redes sociais, após não aparecer no ar nesta sexta (15/7), apontando como motivo a redução do programa.

“Eu não estava no ‘Fofocalizando’ porque eu cheguei lá, conversei com o diretor, e ele me explicou que, quando eu fui contratado, o programa tinha uma hora e quarenta minutos. Eu era o integrante mais novo do programa. Depois de algum tempo, esse tempo foi reduzido”, disse.

“Agora, com uma hora, eram muitos participantes para esse tempo de duração. Então, foi necessário fazer esse ajuste. Não teve nada mais do que isso. Sou muito grato ao SBT e o programa é incrível”, explicou Baldi.

Quando a participação de Baldi no vazamento da gravidez de Klara Castanho veio à tona, Chris Flores usou seu espaço no “Fofocalizando” para negar que o programa tenha dado palco para o assunto antes da atriz se pronunciar. Na ocasião, Baldi também rejeitou ser culpado pela exposição de Klara.

Sobre o assunto, ele disse que uma fonte muito confiável havia falado sobre a gravidez de Klara por telefone – soube-se depois que tinha sido uma enfermeira do hospital em que a atriz deu à luz. Ele explicou que mandou uma mensagem por e-mail para a assessoria de Castanho para formalizar a informação. Com a falta de retorno, decidiu publicar a notícia nas redes sociais.

Minutos depois, Baldi recebeu uma ligação da assessoria, que explicou que não foi apenas uma gravidez, que Klara tinha sido vítima de estupro e o assunto não podia ter vazado. A própria atriz entrou na ligação. Ele contou que ela pediu “‘Pelo amor de Deus, pela minha vida, apague esse post, porque eu não quero falar sobre gravidez’. E eu disse ‘claro’, e apaguei”.

Segundo Baldi, a postagem ficou poucos minutos no ar, mas a história acabou voltando com força logo depois, num vídeo surreal de Antonia Fontenelle que acusou Klara de ser monstruosa e cometer crime por dar a criança para doação.

Klara se viu obrigada a contar todos os detalhes para o público, publicando um post em 26 de junho que descreveu como “o relato mais difícil da minha vida”. Apesar disso, outro colunista de fofocas, Leo Dias, não se conteve e publicou em seguida os dados do nascimento da criança, incluindo hora e local de nascimento, que são protegidos por lei, expondo ainda mais a jovem.

“Nunca mais mexi nessa história e não posso ser responsabilizado por tudo o que, depois, as pessoas, sabendo do que se tratava, fizeram”, disse Baldi.