Divulgação/Disney

Pat Carroll, voz original de Úrsula em “A Pequena Sereia”, morre aos 95 anos

A comediante Pat Carroll, que marcou época na TV americana e foi a voz original de Úrsula em “A Pequena Sereia”, morreu no sábado (30/7) de pneumonia em sua casa em Cape Cod, Massachusetts (EUA), aos 95 anos.

Patricia Ann Carroll nasceu em 5 de maio de 1927, em Shreveport, Louisiana. Quando tinha 5 anos, ela e sua família se mudaram para Los Angeles. Aos 20, serviu como técnica de atuação para o exército dos EUA, escrevendo, produzindo e dirigindo produções de soldados. Mas só começou a atuar profissionalmente em 1947, quando participou de uma montagem regional de “A Goose for a Gander” ao lado da estrela Gloria Swanson.

Ela também foi pioneira do stand-up, aprimorando suas habilidades cômicas se apresentando em boates e resorts. Depois de estrear no circuito off-Broadway em 1950, começou a trabalhar nos primeiros teleteatros da recém-lançada TV americana.

Por seu primeiro papel na Broadway, na revista musical “Catch a Star!” (1955), escrita por Danny e Neil Simon, obteve uma indicação ao Tony.

A personalidade alegre, a sagacidade maluca e o timing impecável fizeram dela uma atriz requisitada para participações especiais em vários programas humorísticos, o que foi aproveitado por astros como Sid Caesar, Red Buttons, Jimmy Durante, Mickey Rooney, Steve Allen, Danny Thomas, Charley Weaver e até Mary Tyler Moore – que a convidaram a tornar suas atrações mais engraçadas. Suas travessuras no programa “Caesar’s Hour”, de Sid Caesar, lhe renderam um Emmy de Melhor Atriz Coadjuvante em 1957.

Por quase quatro décadas, Pat Carroll pôde ser vista semanalmente sem parar na TV dos EUA, indo de um programa a outro. Entre seus papéis mais notáveis estão Bunny Halper, a esposa do dono de boate Charley Halper (Sid Melton) em três temporadas do “The Danny Thomas Show” (entre 1961 e 1964), uma paciente irritadiça que dividiu um quarto de hospital com Mary Richards (Mary Tyler Moore) na série “Mary Tyler Moore” (em 1971), a mãe da personagem de Cindy Williams em “Laverne & Shirley” (em 1976), a empresária Hope Stinson, que compartilhou a propriedade de um jornal com o personagem de Ted Knight em “Longe dos Olhos, Perto do Coração” (Too Close for Comfort, 1986-1987), além de aparecer ao lado de Suzanne Somers nas duas temporadas de “She’s the Sheriff” (1987-1989).

Quando não estava numa série, ela ainda podia ser vista em game shows. Carroll participou de praticamente todos os jogos de programas de variedades exibidos entre os anos 1960 e os 1980.

No cinema, seu primeiro destaque foi “Tem um Homem na Cama da Mamãe” (1968), como a irmã casamenteira de Doris Day. Mas os produtores de Hollywood logo se mostraram mais interessados em sua voz, de entonação espirituosa e risada gutural, escalando-a em várias animações.

Ela entrou pela primeira vez numa cabine de dublagem em 1966, para a série animada “Super 6”. Mas foi depois dos anos 1980 que sua carreira de locução disparou, graças à participação em “A Pequena Sereia” (1989).

A vilã Úrsula foi sua personagem mais memorável. E também seu papel favorito. “Era uma ambição minha fazer, ao longo da vida, um filme da Disney”, ela confessou no livro “Makin’ Toons: Inside the Most Popular Animated TV Shows and Movies”, de Allan Neuwirth. O entusiasmo de Carroll transformou a criatura de muitos braços (ou pernas) numa das vilãs mais famosas ​​da Disney. Depois do filme, inclusive, ela continuou dublando a personagem em vários videogames e uma série de 1993, além de fazer a voz de Morgana no lançamento direto para vídeo de “A Pequena Sereia 2: Retorno ao Mar” (2000).

Além de animações, ela também trabalhou como atriz em filmes conceituados como “Escritores da Liberdade” (2007) e “Missão Madrinha de Casamento” (2011). E em 2000 chegou a ser indicada ao Spirit Awards (o Oscar independente) por seu papel no drama “Coletora de Canções”, sobre uma musicóloga que registra a herança do folk britânico na música dos EUA. O filme acabou vencendo o troféu de Melhor Elenco no Festival de Sundance.

Seus últimos trabalhos foram dublagens de séries da Disney: como uma personagem do desenho “As Enroladas Aventuras da Rapunzel” (2017-2020) e num episódio de “O Mundo Maravilhoso de Mickey Mouse” de 2020, no qual se despediu da atuação dando voz pela última vez à Úrsula.