Divulgação/Netflix

Netflix passa a cobrar por compartilhamento de senhas

A Netflix vai começar a cobrar de assinantes que usarem sua conta em outro endereço que não seja o informado no cadastro da empresa. A cobrança começou a ser aplicada, em fase de testes, em cinco países da América Latina.

Por enquanto, o Brasil não entrou na lista, mas consumidores brasileiros já começaram a receber notificações de alerta da Netflix ao utilizarem sua conta em novos aparelhos.

A princípio, a taxa extra será cobrada se for verificado que o log in e senha do serviço tiver sido usado por mais de duas semanas em endereços alternativos. A companhia assegura que o uso da Netflix por pessoas em viagens de férias não será afetado. Por isso, a cobrança não será feita se o dispositivo usado pelo assinante for móvel, como smartphone, tablet e laptop.

Os países onde a cobrança começa a ser realizada são Argentina, El Salvador, Guatemala, Honduras e República Dominicana. O valor varia de US$ 1,70 a US$ 2,99, dependendo do país.

A cobrança pelo compartilhamento de senhas reflete uma tendência de queda no número de assinantes do serviço. A Netflix perdeu 200 mil assinantes no primeiro trimestre do ano e mais 970 mil no segundo trimestre em todo o mundo. Os números oficiais de abril a junho foram anunciados nesta terça (19/7).

Ao mesmo tempo, a Netflix estima que mais de 100 milhões de famílias usam contas pagas por outras pessoas e que essa prática é uma das principais causas da perda de assinantes. Cobrar a taxa extra pelo compartilhamento seria uma forma de reverter a perda financeira da diminuição de assinaturas.

As ações da empresa já caíram 65% neste ano, com o receio de investidores sobre o futuro do streaming.