Divulgação/International Film Critics' Week

Mantas Kvedaravicius (1976–2022)

O Ministério da Defesa da Ucrânia informou que o cineasta lituano Mantas Kvedaravicius foi morto no sábado (2/4) em Mariupol, cidade ucraniana, aos 45 anos.

“Enquanto (ele estava) tentando deixar Mariupol, os ocupantes russos mataram o diretor lituano Mantas Kvedaravicius”, tuitou a agência de informação do ministério neste domingo.

O presidente lituano Gitanas Nauseda lamentou a morte em um comunicado. “Perdemos um criador muito conhecido na Lituânia e em todo o mundo, que, apesar do perigo, até o último momento tentou filmar na Ucrânia ocupado pela Rússia.”

Kvedaravicius ficou conhecido justamente pelo documentário “Mariupolis”, que relatou os primeiros conflitos da cidade de Mariupol com separatistas pró-Rússia em 2016. O filme foi selecionado para o Festival Internacional de Cinema de Berlim.

Antes disso, ele já tinha sido premiado em Berlim com um troféu da Anistia Internacional, recebido por seu longa de estreia, “Barzakh”, de 2011, rodado na Chechênia – que também foi palco de um violento conflito armado.

Seu último trabalho foi sua estreia na ficção, o drama “Partenonas”, lançado em 2019 no Festival de Veneza.