Divulgação/Itaú Cultural

Angeli se aposenta após diagnóstico de afasia

O cartunista Angeli, criador do Bob Cuspe, Rê Bordosa e vários personagens icônicos, anunciou sua aposentadoria, após receber o diagnóstico de afasia, doença neurodegenerativa que prejudica a comunicação e, conforme evolui, incapacita o paciente de se expressar de forma verbal ou escrita.

A mesma doença recentemente provocou a aposentadoria do ator americano Bruce Willis.

“É com tristeza e coragem que a família e os amigos de Angeli comunicam o fim, por questões de saúde, da histórica colaboração entre o autor e a Folha de S. Paulo”, diz um texto publicado no Instagram oficial do artista.

“Após 51 anos de carreira, quase 50 deles no jornal, é num misto de emoção e tristeza e também orgulho que ele se despede desse espaço que foi, ao longo de décadas, uma janela para que os leitores pudessem observar o talento indescritível de um dos maiores artistas que o Brasil tem. Agora que esta nova etapa se inicia, deixamos aqui um agradecimento especial aos leitores que foram os grandes parceiros de Angeli durante essas cinco décadas. Com eles, seguiremos celebrando a obra de Angeli em novas publicações e exposições. Punk is not dead!”, conclui o comunicado.

No ano passado, uma das criações mais famosas de Angeli virou filme animado, “Bob Cuspe – Nós Não Gostamos de Gente”, que foi premiado no Festival de Annecy (o Cannes da animação).

Neste ano, ele vai ganhar uma homenagem literária. Em celebração aos seus 50 anos de carreira, uma seleção ampla do seu trabalho, de tiras a charges, será lançada pela Companhia das Letras.

A suposta primeira publicação de Angeli foi aos 14 anos, na antiga revista Senhor, mas os organizadores da coletânea não conseguiram localizar esse trabalho pioneiro. Já o último desenho está na seção Quadrão, que ele revezava aos domingos na Folha de S. Paulo com Jan Limpens, Luiz Gê, Ricardo Coimbra e Laerte. Ele publicava na Folha desde 1973.