Divulgação/Netflix

Spirit Awards: “A Filha Perdida” vence o Oscar do cinema independente

A produção da Netflix “A Filha Perdida” foi a grande vencedora da 37ª edição do Film Independent Spirit Awards, considerado o Oscar do cinema independente.

Realizada na noite de domingo (6/3) em Santa Mônica, Califórnia, a premiação teve os comediantes Nick Offerman (“Parks and Recreation”) e Megan Mullally (“Will & Grace”) como apresentadores e foi uma noite de gala para o streaming.

Além de Melhor Filme, o longa de estreia da atriz Maggie Gyllenhaal como diretor e roteirista ainda venceu os troféus de Melhor Direção e Roteiro.

Adaptação do romance homônimo de Elena Ferrante, a obra protagonizada por Olivia Colman apresenta a maternidade como um experiência de vida sufocante e frustrante, e também está na disputa de três Oscars – mas não de Melhor Filme.

Curiosamente, “Ataque dos Cães”, favorito ao Oscar, não foi indicado ao Spirit Awards deste ano. O que diferencia as duas produções da Netflix é apenas o orçamento – a organização Film Independent estabelece um teto de US$ 22,5 milhões para que um filme seja considerado elegível. Afinal, a gigante do streaming não é de forma alguma um estúdio indie.

Entre os vencedores da noite, ainda houve destaque para Troy Kotsur, Melhor Ator Coadjuvante por “No Ritmo do Coração”, que fez história como o primeiro ator surdo a ganhar um Spirit Award. Detalhe: “No Ritmo do Coração” também representa uma vitória do streaming. A Apple TV+ exibiu o longa com exclusividade nos EUA.

Já o filme “Zola”, que abriu vantagem na largada com sete indicações, venceu dois prêmios: Melhor Atriz (Taylour Paige) e Edição.

O prêmio de Melhor Ator ficou com Simon Rex por “Red Rocket”, novo filme de Sean Baker (“Projeto Flórida”), e o de Melhor Atriz Coadjuvante com Ruth Negga por “Identidade”, mais uma produção da Netflix.

De todos os intérpretes premiados, apenas Troy Kotsur está indicado ao Oscar – e é favorito em sua categoria.

A edição de 2022 do Spirit Awards foi realmente uma das que mais se distanciou das indicações da Academia. Mas mesmo com poucos títulos em comum, consolidou o favoritismo de mais dois candidatos ao Oscar: o registro musical “Summer of Soul” como Melhor Documentário e o drama japonês “Drive My Car” como Melhor Filme Internacional.

A premiação ainda inclui categorias televisivas, que consagraram a série “Reservoir Dogs”, a atriz Thuso Mbedu, de “The Underground Railroad”, e Lee Jung-jae, de “Round 6”, que se tornou o primeiro ator sul-coreano de série a vencer o troféu indie. Seu agradecimento pelo troféu pode ser conferido após a lista completa dos vencedores abaixo.

Melhor Filme
“A Filha Perdida”

Melhor Direção
Maggie Gyllenhaal, “A Filha Perdida”

Melhor Filme de Estreia
“7 Days”

Melhor Atriz
Taylour Paige, “Zola”

Melhor Ator
Simon Rex, “Red Rocket”

Melhor Atriz Coadjuvante
Ruth Negga, “Identidade”

Melhor Ator Coadjuvante
Troy Kotsur, “No Ritmo do Coração”

Melhor Roteiro
Maggie Gyllenhaal, “A Filha Perdida”

Melhor Roteiro de Estreia
Vanessa Block e Michael Sarnoski, “Pig”

Melhor Fotografia
“Identidade”

Melhor Edição
“Zola”

Prêmio Robert Altman (Combo de direção e elenco)
“Mass”

Melhor Documentário
“Summer of Soul”

Melhor Filme Internacional
“Drive My Car”

Prêmio Alguém para Acompanhar (Diretor revelação)
Alex Camilleri, “Luzzu”

Prêmio Mais Verdadeiro que Ficção (Revelação em documentários)
“Faya Dayi”

Prêmio John Cassavetes (Filmes de baixíssimo orçamento)
“Shiva Baby”

Prêmio de Produtores
Lizzie Shapiro

Melhor Série Nova
“Reservation Dogs”

Melhor Série Nova Documental
“Black and Missing”

Melhor Atriz em Série
Thuso Mbedu, “The Underground Railroad”

Melhor Ator em Série
Lee Jung-jae, “Round 6”