Divulgação/Screen Media Films

Nicolas Cage admite ter feito filmes ruins para pagar dívidas

O ator Nicolas Cage admitiu que a atual fase de sua carreira, caracterizada por filmes de ação e terror de qualidade duvidosa, lançados diretamente para locação digital, foi motivada pela necessidade de pagar dívidas de milhões de dólares.

“Eu tinha muitos cobradores me infernizando, além do Imposto de Renda, e estava gastando US$ 20 mil por mês para cuidar da minha mãe e impedir que ela fosse mandada para um sanatório. Foi um momento difícil, tudo aconteceu ao mesmo tempo”, ele revelou em nova entrevista à revista GQ.

Apesar de assumir que muitos de seus filmes mais recentes são ruins, Cage defende suas performances em todos eles. “Mesmo quando estava fazendo quatro filmes por ano, um atrás do outro, sempre tentava achar algo neles que me impulsionasse a dar meu melhor”, ressaltou.

“É claro que nem todos funcionaram. Alguns são ótimos, como ‘Mandy’, e outros nem tanto. Mas eu nunca fiz uma interpretação ‘no piloto automático’. Se houve algo incompreendido nessa fase, foi isso. As pessoas achavam que eu fazia esses filmes e não me importava. Eu me importava”, completou.

De acordo com o próprio Cage, as suas dívidas foram zeradas há um ano e meio. Mas ele gostou de trabalhar em filmes independentes, descobrindo que se diverte mais em produções de baixo orçamento do que nas filmagens de grandes blockbusters.

“Eu me divirto mais fazendo filmes como ‘Pig’ e ‘Despedida em Las Vegas’ do que me divirto fazendo ‘A Lenda do Tesouro Perdido'”, comparou.

Só neste ano, o ator vai estrelar quatro filmes, com destaque para “O Peso do Talento”, em que interpreta a si mesmo numa paródia de seus filmes. A estreia vai acontecer em 28 de abril no Brasil. Além disso, ele viverá Drácula em “Reinfeld”, atualmente em produção e previsto para 2023, marcando sua volta para as produções de grandes orçamentos de Hollywood.