Instagram/Golden Globes

Michael B. Jordan vira suspeito de chacina no Ceará

O ator americano Michael B. Jordan, destaque nas franquias “Pantera Negra” e “Creed”, virou suspeito de homicídio, após ter uma foto incluída em um catálogo da Polícia Civil do Ceará para reconhecimento de possíveis responsáveis pela chacina da Sapiranga, que mantou cinco pessoas na noite de Natal.

A foto do astro de Hollywood, que só veio ao Brasil em 2018 para participar da CCXP, foi descoberta pelo jornal Diário do Nordeste como uma das três imagens presentes num Termo de Reconhecimento Fotográfico da Polícia Civil do Ceará (PCCE).

Em nota enviada à imprensa local, a polícia informou que o trabalho de reconhecimento fotográfico é “apenas uma das etapas que podem levar ao indiciamento de um acusado”.

Sem explicar porque a foto do ator foi parar em seu catálogo, a polícia afirmou usar também outros métodos para chegar aos suspeitos, como “elementos comprobatórios por meio de provas técnicas, através de perícias, e testemunhas”.

A chacina aconteceu no bairro de Sapiranga, em Fortaleza. Além dos mortos, outras seis pessoas ficaram feridas.

Até o momento, o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) identificou e prendeu 28 pessoas suspeitas de envolvimento na chacina.

O sistema de reconhecimento de suspeitos por meio de fotos tem sido amplamente usado pela polícia brasileira, entretanto apresenta várias falhas, que contribuem para a perpetuação do racismo. É recorrente que, em reconhecimentos por fotografias, imagens de pessoas negras sejam colocadas para serem apontadas como suspeitos, selecionadas por algoritmos que refletem preconceitos de seus programadores brancos e relacionam as pessoas negras com crime.