Divulgação/Sony

“Homem-Aranha” segue como filme mais visto nos EUA

“Homem-Aranha: Sem Volta para Casa” segue liderando as bilheterias dos EUA e Canadá após sete fins de semana. O fenômeno arrecadou mais US$ 11 milhões desde sexta-feira. Com isso, chegou neste domingo (30/1) a US$ 735 milhões, a quarta melhor arrecadação doméstica de todos os tempos.

Internacionalmente, a coprodução da Sony e da Disney/Marvel ultrapassou a marca de US$ 1 bilhão no fim de semana. Trata-se de um feito e tanto, porque foi apenas a décima vez que um título americano alcançou este rendimento com bilheterias do exterior.

Com tanto sucesso, o filme do Homem-Aranha atingiu um faturamento mundial de US$ 1,74 bilhão, o sexto maior da História de Hollywood. O resultado também é a maior bilheteria já registrada para um filme “solo” de super-herói, perdendo no MCU (Universo Cinematográfico da Marvel) apenas para os dois longas mais recentes dos Vingadores.

Considerando que acima de sua arrecadação há cinco produções da Disney (incluindo a antiga 20th Century Fox) com mais de US$ 2 bilhões, o desempenho do filme não deve ultrapassar esta posição do ranking.

De todo modo, é impressionante que “Homem-Aranha: Sem Volta para Casa” tenha chegado tão alto sem uma exibição na China, país com o maior número de cinemas do planeta.

Mas também é curioso o papel da pandemia em seu sucesso. O aumento da contaminação de covid-19 fez com que os estúdios adiassem seus lançamentos de cinema, o que deixou “Homem-Aranha: Sem Volta para Casa” sem novos concorrentes neste e outros fins de semana recentes.

Sem novas estreias, a lista dos títulos mais vistos nos EUA e Canadá se manteve inalterada em relação à semana passada, com “Pânico” em 2º lugar em seu terceiro fim de semana.

O terror da Paramount vendeu US$ 7,3 milhões em ingressos para atingir um total de US$ 62,1 milhões na América do Norte. Com isso, a produção orçada em US$ 24 milhões basicamente se pagou, transformando toda a bilheteria internacional – US$ 44 milhões – em lucro.

“Sing 2”, da Universal, completa o pódio em seu sexto fim de semana. Com US$ 4,8 milhões em ingressos vendidos, chegou a uma receita doméstica de US$ 134,5 milhões, tornando-o maior bilheteria norte-americana de uma animação em todo a pandemia – já que a Disney continua enviando seus desenhos inéditos diretamente para a Disney+. Em todo o mundo, a arrecadação está em US$ 243 milhões.