Divulgação/20th Century Studios

Musical “Amor, Sublime Amor” é a principal estreia nos cinemas

O principal destaque dos cinemas nesta quinta (9/12) é “Amor, Sublime Amor”, nova filmagem de um dos mais famosos musicais da Broadway com direção de Steven Spielberg. Mas ainda há outra dúzia de estreias, incluindo quatro lançamentos tardios e premiados de 2020, diretores brasileiros causando impacto internacional, uma atração da Netflix com elenco estelar e até o relançamento do primeiro “Matrix”.

Ao lado do musical, o desenho “Família Monstro 2” e o thriller de ação “Missão Resgate” são os títulos com distribuição mais ampla.

Os demais chegam em poucas cidades, no circuito limitado que iniciativas do governo federal, como o veto de Bolsonaro ao Regime Especial de Tributação para Desenvolvimento da Atividade de Exibição Cinematográfica (Recine), tem se esforçado para diminuir ainda mais.

Confira abaixo todos as estreias e seus respectivos trailers.

 

 

 

Spielberg encara o desafio de refilmar um musical que ganhou 10 Oscars quando foi levado às telas pela primeira vez em 1961. E o resultado é forte candidato ao Oscar de 2022. Com 96% de aprovação no Rotten Tomatoes, a obra ainda revela uma nova estrela, a estreante Rachel Zegler, que aos 17 anos superou mais de 30 mil candidatas em testes para o papel de Maria, formando o par central deste “Romeu e Julieta” latino com Ansel Elgort (“Em Ritmo de Fuga”).

 

 
Missão Resgate

 

No novo thriller estrelado por Liam Neeson, um comboio de caminhões percorre uma perigosa estrada de gelo sobre um lago congelado para salvar mineiros após o desabamento de uma mina. Só que, além dos desafios da natureza, há outras forças – humanas – trabalhando para impedi-los. Avaliado com apenas 44% de aprovação, o filme tem roteiro e direção de Jonathan Hensleigh, que escreveu o blockbuster dos anos 1990 “Armageddon”.

 

 
Nove dias

 

Uma das boas surpresas do ano passado, vencedor do prêmio de roteiro no Festival de Sundance, finalmente chega ao país. O que permite que o público nacional conheça o trabalho de um cineasta brasileiro que encantou os EUA. Estreia do paulista Edson Oda, “Nove Dias” conta com produção do americano Spike Jonze (“Ela”) e um elenco hollywoodiano, encabeçado por Winston Duke (“Pantera Negra”), Zazie Beetz (“Coringa”), Bill Skarsgård (“It: A Coisa”), Benedict Wong (“Doutor Estranho”) e Tony Hale (“Veep”). Eles interpretam uma trama metafísica, em que o personagem de Duke entrevista almas candidatas a nascer na Terra.

 

 
Madalena

 

Primeiro longa do mato-grossense Madiano Marcheti, de 32 anos, “Madalena” também circulou o mundo antes de chegar no Brasil. Desde a première no Festival de Roterdã, na Holanda, em fevereiro passado, conquistou prêmios em festivais de cinema do México, Peru e Turquia, arrancando elogios da imprensa internacional. A trama gira em torno do assassinato da personagem-título, uma mulher trans que tem o corpo largado em uma plantação de soja. A partir daí, a história se desdobra sob o ponto de vista de três personagens ligados à vítima, além de abordar o universo do agronegócio, ainda pouco explorado pelo cinema brasileiro.

 

 
Yalda – Uma noite de perdão

 

Outro destaque de 2020, “Yalda” foi o grande vencedor internacional do Festival de Sundance e ainda rendeu ao cineasta iraniano Massoud Bakhshi o troféu de Melhor Roteiro no Festival de Sofia. A história totalmente surreal, mas baseada em fatos reais, acompanha uma jovem condenada à morte por assassinar o marido, que ganha uma chance inusitada de comutar sua sentença, bastando para isso conseguir o perdão de sua enteada (bem mais velha que ela) num reality show televisivo!

 

 
Casulo

 

Mais um cult tardio de 2020 incluído na semana, o drama teen LGBTQIA+ da alemã Leonie Krippendorff (“Loving Her”) acompanha uma adolescente tímida de 14 anos, que embarca em um verão de mudanças e descobertas pessoais ao se perceber atraída por outra garota. Venceu três prêmios internacionais e tem “somente” 100% de aprovação no Rotten Tomatoes, num apanhado com 12 críticas elogiosíssimas.

 

 
A mulher que fugiu

 

O novo drama minimalista do sul-coreano Hong Sang-soo (“Certo Agora, Errado Antes”) traz novas conversas entre amigos – amigas, no caso – em torno de mesas com comida e bebida. Sang-soo conseguiu construir uma filmografia premiada regada a saquê, repetindo sempre o mesmo esquema, que realmente impressiona críticos e curadores de festivais, capazes de ver novidades em cada variação estrelada pela musa do diretor, Kim Min-hee. “A mulher que Fugiu” lhe rendeu o Urso de Prata de Melhor Direção no Festival de Berlim de 2020.

 

 
Contos do amanhã

 

O primeiro longa de Pedro de Lima Marques é uma rara produção de ficção científica brasileira. O diretor é especialista em efeitos digitais e também assina o longa como artista visual, adequando os evidentes limites da produção independente gaúcha a uma trama de viagem no tempo, em que exterminadores do futuro buscam um jovem de 1999 para impedir… o bug do milênio? Não, um futuro distópico caracterizado pela falta de comida – basicamente, 2021, mas o roteiro situa mais para frente, em 2165. O Brasil já demonstrou ser capaz de trabalhar o gênero com séries na Netflix, mas um pouco de politização faz maior diferença em tramas genéricas.

 

 
Não olhe para cima

 

A superprodução de fim de ano da Netflix chama atenção pelo elenco estelar, que traz Leonardo DiCaprio (vencedor do Oscar por “O Regresso”) e Jennifer Lawrence (vencedora do Oscar por “O Lado Bom da Vida”) tentando alertar sobre a aproximação de um cometa capaz de destruir a Terra. Escrito e dirigido por Adam McKay (vencedor do Oscar por “A Grande Aposta”), o longa ainda inclui Meryl Streep (vencedora do Oscar por “A Dama de Ferro” e outros), Jonah Hill (“O Lobo de Wall Street”), Cate Blanchett (“Thor: Ragnarok”), Timothée Chalamet (“Me Chame pelo seu Nome”) e até a cantora Ariana Grande (“Sam & Cat”) em seu elenco. Mas se sobram estrelas, faltou um pouco de graça, como atesta a aprovação de 58% no Rotten Tomatoes.

A Babá – O Chamado das Sombras

 

A distribuidora PlayArte tem trazido muitos terrores russos ao Brasil. Difícil decidir qual é o pior, mas este consegue ser especialmente espantoso, envolvendo uma babá bruxa.

 

 
E agora mamãe saiu de férias 2… E levou a família

 

A continuação da comédia italiana “E Agora? A Mamãe Saiu de Férias!” segue a família original, desta vez completa e em clima natalino. Assim como o longa de 2019, foi um grande sucesso comercial italiano, ao ser lançado originalmente no Natal passado.

 

 
Família monstro 2

 

A animação alemã acompanha uma família comum transformada em monstros – ou em designs rejeitados do “Hotel Transilvânia”. A trama da sequência mostra sua tentativa de salvar amigos de uma famosa caçadora de monstros, mas só consegue piorar a franquia, recebida com 10% de aprovação no Rotten Tomatoes.

 

 
Matrix

 

Spoiler: Neo (Keanu Reeves) escolhe a pílula vermelha. E o cinema nunca mais se recupera. Kung Fu digital da época em que as irmãs Wachowski ainda eram irmãos, o filme de 1999 tornou-se um dos mais influentes de todos os tempos ao misturar discussão metafísica com estética de videogame, trama de super-herói com distopia futurista, e filosofia grega com artes marciais. Até hoje rende discussões… e continuações. O relançamento tem o objetivo de preparar a volta da franquia, que retorna aos cinemas com o inédito “Matrix Ressurrections”, principal estreia do próximo dia 22.