Divulgação/Elo Company

Festivais do Rio e Brasília acontecem simultaneamente

O Festival do Rio, que começa nesta quinta (9/12) e vai até 19 de dezembro, acontece pela primeira vez simultaneamente ao Festival de Brasília, que começou na terça (7/12) e vai até o dia 14. A coincidência é resultado da “diminuição” do calendário devido à pandemia de covid-19, e da precarização dos eventos.

Enquanto o Festival de Brasília virou programação do Canal Brasil, ocupando a faixa das 23h30 da emissora, o Festival do Rio tenta se manter como evento físico, apesar da crise financeira aberta desde que o desgoverno atual retirou patrocínios importantes da organização.

A abertura do festival carioca acontece com “Madres Paralelas”, de Pedro Almodóvar, que rendeu o prêmio de Melhor Atriz à Penélope Cruz no Festival de Veneza. Nos próximos dias, são esperados os filmes novos de Woody Allen (“Festival do Amor”), Paul Verhoeven (“Benedetta”), Apichatpong Weerasethakul (“Memoria”), Celine Sciamma (“Pequena Mamãe”) e Guillermo del Toro (“O Beco do Pesadelo”), que encerra o evento no dia 19.

A programação completa soma 90 longas e 20 curtas, incluindo uma retrospectiva de cinco filmes do chinês Wong Kar-Wai e uma seção de clássicos franceses dedicada à revista Cahiers du Cinéma.

Além disso, há muitos títulos nacionais. São 16 longas em competição na mostra Premiére Brasil, além de mais 7 da mostra paralela Novos Rumos e 17 exibições especiais.

A lista da mostra competitiva inclui “Medida Provisória”, estreia de Lázaro Ramos na direção que vem enfrentando “dificuldades” junto à Ancine para conseguir lançamento comercial, o premiado “Medusa”, de Anita Rocha da Silveira, eleito Melhor Filme Latino-Americano no último festival de San Sebastián, e a volta de Laís Bodanzky com “A Viagem de Pedro”.

Fora de competição, ainda serão exibidos os aguardados “Eduardo e Monica”, de René Sampaio, baseado na música do Legião Urbana, “Turma da Mônica: Lições”, de Daniel Rezende, “Alemão 2”, de José Eduardo Belmonte, e o documentário “Marinheiro das Montanhas”, de Karim Aïnouz, entre outros.

Trata-se de uma relação bastante expressiva, que deixa nas sombras o Festival de Brasília e sua lista enxuta de documentaristas e/ou cineastas iniciantes.

Veja abaixo a programação de filmes brasileiros de ambos os eventos.

Festival do Rio

Première Brasil – competição Longa ficção
A viagem de Pedro, de Laís Bodanzky
Casa Vazia, de Giovani Borba
Cora, de Gustavo Rosa de Moura e Matias Mariani
Medusa, de Anita Rocha da Silveira
Medida Provisória, de Lázaro Ramos
Meu Tio José, de Ducca Rios
Mundo Novo, de Alvaro Campos
O pai da Rita, de Joel Zito Araújo
O livro dos prazeres, de Marcela Lordy
Sol, de Lô Politi

Première Brasil – competição Longa documentário
BR Trans, de Tatiana Issa e Raphael Alvarez
Cafí, de Lírio Ferreira e Natara Ney
Manguebit, de Jura Capela
O melhor lugar do mundo é agora, de Caco Ciocler
Rolê – Histórias de Rolezinhos, de Vladimir Seixas
Uma baía, de Murilo Salles

Première Brasil – NOVOS RUMOS competição Longas
Barragem, de Eduardo Ades
Diário de Viagem, de Paula Kim
Os Grandes Vulcões, de Fernando Kinas e Thiago B. Mendonça
Os Dragões, de Gustavo Spolidoro
Os Primeiros Soldados, de Rodrigo de Oliveira
O Dia da Posse, de Allan Ribeiro
Rio Doce, de Fellipe Fernandes

Première Brasil – competição curtas
Colmeia, de Maurício Chades (GO)
Da janela vejo o mundo, de Ana Catarina Lugarini (PR)
Depois quando, de Johnny Massaro (RJ)
Fim do dia, de Rafael Raposo (RJ)
Jamary, de Begê Muniz (AM)
Masar – caminhos à mesa, de Amina Nogueira e Ana Sanz (RJ)
Modelo vídeo, de Leonardo Lacca (PE)
O Nascimento de Helena, de Rodrigo Almeida (RN)
Quando o tempo de lembrar bastou, de Felipe Quadra (RJ)
Solitude, de Tami Martins e Aron Miranda (AP)
Tecido, sigilo de Lucílio Jota (RJ)
Tereza Joséfa de Jesus, de Samuel Costa (RJ)
VIVXS!, de Claudia Schapira, Roberta Estrela D’Alva e Tatiana Lohmann (SP)

Première Brasil NOVOS RUMOS – competição curtas
Centelha, de Renato Vallone (RJ)
Chão de fábrica, de Nina Kopko (SP)
Ibeji Ibeji, de Victor Rodrigues (RJ)
Lina, de Melise Fremiot (RJ)
O fundo dos nossos corações, de Letícia Leão (RJ)
Okofá, de Daniela Caprine, Mariana Bispo, Pedro Henrique Martins, Rafael Rodrigues e Thamires Case (SP)
Meu coração já não aguenta mais, de Fabrício Brambatti (SP)
Uma paciência selvagem me trouxe até aqui, de Érika Sarmet (RJ)

Première Brasil HORS CONCOURS longas
Alemão 2, de José Eduardo Belmonte
A suspeita, de Pedro Peregrino
Capitu e o capítulo, de Júlio Bressane
Eduardo e Mônica, René Sampaio
Ela e eu, de Gustavo Rosa de Moura
Marinheiro das Montanhas, de Karim Aïnouz
Meu álbum de amores, de Rafael Gomes
O Circo voltou, de Paulo Caldas
Papai é Pop, de Caíto Ortiz
Turma da Mônica 2: lições, de Daniel Rezende

Première Brasil HORS CONCOURS curtas
Ato, de Bárbara Paz
Romance, de Karine Telles

Première Brasil ESPECIAL
Dona Flor e seus dois maridos, de Bruno Barreto
Chico Mario – A Melodia da Liberdade, de Silvio Tendler
Já que ninguém me tira para dançar, de Ana Maria Magalhães
Nelson filma o Rio, de Luiz Carlos Lacerda
Tempo Ruy, de Adilson Mendes
Terra Estrangeira, de Walter Salles e Daniela Thomas
Ziraldo – Era Uma Vez um Menino…, de Fabrizia Pinto

Première Brasil – O ESTADO DAS COISAS
American Thief, Miguel Silveira
Antígona 442 A.C, de Maurício Farias
Nuhu Mu Yõg Hãm, Essa Terra é Nossa, de Isael Maxakali, Sueli Maxakali, Carolina Canguçu e Roberto Romero
Saudade do futuro, de Anna Azevedo
Segredos do Putumayo, de Aurélio Michiles
The Last Election and Other Love Stories, de Miguel Silveira
Você não sabia de mim, de Alan Minas

Festival de Brasília

Mostra Competitiva de longas
Acaso, de Luis Jungmann Girafa
Alice dos Anjos, de Daniel Leite Almeida
De onde viemos, para onde vamos, de Rochane Torres
Ela e eu, de Gustavo Rosa de Moura
Lavra, de Lucas Bambozzi
Saudade do Futuro, de Anna Azevedo

Mostra Competitiva de curtas
Adão, Eva e o Fruto Proibido, de R.B. Lima
Cantareira, de Rodrigo Ribeyro
Chão de Fábrica, de Nika Kopko
Como respirar fora d’água, de Júlia Fávero e Victoria Negreiros
Da boca da noite à barra do dia, de Tiago Delácio
Deus me Livre, de Carlos Henrique de Oliveira e Luis Ansorena
Era uma vez… uma princesa, de Lisiane Cohen
Filhos da Periferia, de Arthur Gonzaga
N.F. Trade, de Thiago Foresti
Ocupagem, de Joel Pizzini
Sayonara, de Chris Tex
Terra Nova, de Diego Bauer

Mostra Brasília de longas
Acaso, de Luis Jungmann Girafa (selecionado também para a mostra nacional)
Advento de Maria, de Vinícius Machado
Mestre de Cena, de João Inácio
Noctiluzes, de Jimi Figueiredo e Sérgio Sartório

Mostra Brasília de curtas
A Casa do Caminho, de Renan Montenegro
Benevolentes, de Thiago Nunes
Cavalo Marinho, de Gustavo Serrate
Ele tem saudade, de João Campos
Filhos da Periferia, de Arthur Gonzaga (selecionado também para a Mostra Nacional)
Tempo de Derruba, de Gabriela Daldegan
Tinhosa, de Rafael Cardim Bernardes
Vírus, de Larissa Mauro e Joy Ballard