Divulgação/Cine Ceará

Documentário “5 Casas” vence festival Cine Ceará

A 31ª edição do Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema premiou na noite desta sexta-feira (3/12) o documentário “5 Casas”, de Bruno Gularte Barreto, com o Troféu Mucuripe de Melhor Filme.

Com cinco personagens principais muito diferentes uns dos outros, o filme é uma viagem pela memória da infância do diretor em Dom Pedrito, interior do Rio Grande do Sul, lembrando da professora ao amigo gay, em meio a perdas sentidas.

O trabalho, que já tinha chamado atenção no circuito internacional, também recebeu os prêmios de Melhor Roteiro (Bruno Gularte Barreto e Vicente Moreno) e Som (Emil Klotzsh).

O prêmio de Melhor Direção foi para Alicia Cano Menoni por “Bosco”, filme que também conquistou três troféus – incluindo Montagem (Guillermo Madeiro) eTrilha Sonora Original (Giorgio Ferrero e Rodolfo Mong).

Já os vencedores das categorias de interpretação foram dois atores do mesmo longa: Clebia Sousa e Vanderlei Bernardino de “Fortaleza Hotel”, novo filme de Armando Praça – que em 2019 venceu o Cine Ceará com “Greta”.

Para completar, “A Praia do Fim do Mundo” rendeu ao cineasta Petrus Cariry o troféu de Melhor Fotografia, além de levar o Prêmio da Crítica e de Direção de Arte (Sergio Silveira). Em 2011, o diretor foi o grande vencedor do festival pelo longa-metragem “Mãe e Filha”.

A cerimônia de premiação aconteceu no Cineteatro São Luiz e prestou homenagem ao governador do Ceará, Camilo Santana (PT), que recebeu o troféu Eusélio Oliveira como reconhecimento por seu trabalho em prol da Cultura no Estado, em especial no setor audiovisual cearense, em meio à pandemia de covid-19.

Após a premiação ainda houve uma sessão especial de “O Marinheiro das Montanhas”, documentário de Karim Aïnouz que teve première mundial no último Festival de Cannes e ainda é inédito em circuito comercial no Brasil.

Confira abaixo a lista completa dos premiados.

 
MOSTRA COMPETITIVA IBERO-AMERICANA DE LONGA-METRAGEM

Melhor Longa-metragem
“5 Casas”, de Bruno Gularte Barreto

Melhor Direção
Alicia Cano Menoni, por “Bosco”

Melhor Atuação Feminina
Clebia Sousa, por “Fortaleza Hotel”

Melhor Atuação Masculina
Vanderlei Bernardino, por “Fortaleza Hotel”

Melhor Roteiro
Bruno Gularte Barreto e Vicente Moreno, por “5 Casas”

Melhor Fotografia
Petrus Cariry, por “A Praia no Fim do Mundo”

Melhor Montagem
Guillermo Madeiro, por “Bosco”

Melhor Trilha Sonora Original
Giorgio Ferrero e Rodolfo Mong, por “Bosco”

Melhor Som
Emil Klotzsh, por “5 Casas”

Melhor Direção de Arte
Sergio Silveira, por “A Praia do Fim do Mundo”

Prêmio da Crítica – Abraccine
“A Praia do Fim do Mundo”, de Petrus Cariry

 
MOSTRA COMPETITIVA BRASILEIRA DE CURTA-METRAGEM

Melhor Curta-metragem
“Chão de Fábrica”, de Nina Kopko

Melhor Direção
Pedro Gonçalves, por “O Resto”

Melhor Roteiro
Carlos Segundo, por “Sideral”

Prêmio da Crítica – Abraccine
“O Durião Proibido”, de Txai Ferraz

Prêmio Canal Brasil de Curtas
“Chão de Fábrica”, de Nina Kopko

Troféu Samburá Melhor Curta
“Sideral”, de Carlos Segundo

Troféu Samburá Melhor Direção
Júlia Fávero e Victoria Negreiros, por “Como Respirar Fora d’Água”

 
MOSTRA OLHAR DO CEARÁ

Melhor Longa-metragem
“Minas Urbanas”, de Natália Gondim

Melhor Curta-metragem
“Sebastiana”, de Cláudio Martins

Prêmio Unifor de Audiovisual
“Sebastiana”, de Cláudio Martins

 
PRÊMIO ÁGUA E RESISTÊNCIA

Júri Olhar Universitário
“Jeanstopia”, de Gabriel Viggo E Murilo Da Paz

 
MOSTRA PONTES CRIATIVAS

Melhores Curtas-metragens
“Eu Sou as Cores, Você É a Praça”, de Paulo Ribeiro e Anio Tales Carin
“Eu Não Sou Daqui”, de Leandro Olímpio