Divulgação/Netflix

“Cowboy Bebop” é cancelada pela Netflix

Badaladíssima pela Netflix, com uma campanha de divulgação ostensiva, a série “Cowboy Bebop” foi cancelada menos de três semanas após sua estreia em streaming.

Mesmo sem revelar números – a Netflix esconde seus fracassos – a falta de destaque da série nos rankings semanais da plataforma, despencando 59% da primeira para a segunda semana, já apontava desinteresse pela produção.

Para completar, ela foi considerada medíocre – alguns chamaram de ridícula – pela crítica (46% no Rotten Tomatoes), por tentar copiar em detalhes os desenhos animados em que se baseia. A ironia é que mesmo beirando a imitação, foi acusada pelos fãs do anime clássico de escalar mal o elenco, com atores muito diferentes dos traços originais.

Com o cancelamento, “Cowboy Bebop” se torna mais uma série da Netflix sem final. O último capítulo deixou alguns ganchos para uma planejada continuação, que não vai mais acontecer.

Baseada no anime cultuadíssimo de Shinichirō Watanabe, que estreou no Japão em 1998 – e está disponível (completo!) na Netflix – , a adaptação desenvolvida pelo roteirista Christopher Yost (de “Thor: Ragnarok”) girava em torno das aventuras de um grupo de caçadores de recompensa e sua nave espacial em busca de criminosos perigosos.

O elenco trazia John Cho (“Procurando…”) como o protagonista Spike Spiegel, Daniella Pineda (a bruxa Sophie Deveraux de “The Originals”) como a femme fatale Faye Valentine e Mustafa Shakir (o vilão John “Bushmaster” McIver em “Luke Cage”) como Jet.