Divulgação/Amazon Prime Video

Séries online: 10 estreias para o fim de semana

A semana tem fantasia épica, terror sul-coreano, suspense canibal, sci-fi baseada em anime, novas comédias para chamar de favoritas e a volta de Joe Exotic, entre muitos outros lançamentos em streaming. Para não se perder na variedade, as 10 principais estreias podem ser conferidas na seleção abaixo.

 

 
A Roda do Tempo | Amazon Prime Video

 

Estreia mais esperada, “A Roda do Tempo” (The Wheel of Time) adapta a franquia literária homônima do escritor Robert Jordan. A saga de fantasia com muitas batalhas, monstros e efeitos visuais materializa-se com Rosamund Pike (indicada ao Oscar por “Garota Exemplar”) no papel da feiticeira Moiraine, integrante de uma poderosa organização mágica conhecida como Aes Sedai.

Na trama, ela parte numa aventura misteriosa com cinco jovens escolhidos, testando profecias que podem salvar ou destruir a humanidade – e a produção já se encontra renovada para sua 2ª temporada.

 

 
Profecia do Inferno | Netflix

 

Depois do sucesso de “Round 6”, as produções sul-coreanas estão ganhando mais atenção das plataformas. E “Profecia do Inferno” (Hellbound) tem como chamariz o fato de ter sido criada por Yeon Sang-ho, diretor do filme “Invasão Zumbi”.

Adaptação do popular webtoon (quadrinhos digitais sul-coreanos) “Hell” (Jiok), a série acompanha o caos provocado pelo surgimento de seres sobrenaturais, que passam a condenar pessoas ao inferno, enquanto um novo grupo religioso começa a pregar que esses seres são enviados por Deus.

O elenco destaca Ah-in Yoo, astro de outro filme de zumbis, “#Alive” (disponível na Netflix). Todos os seis episódios foram dirigidos por Yeon, que também assina os roteiros em parceria com Choi Gyu-seok, um artista conhecido pelo webtoon “Songgot”, que já rendeu uma adaptação live-action em 2015.

 

 
The Sex Lives of College Girls | HBO Max

 

Nova série de Mindy Kaling (“Projeto Mindy” e “Eu Nunca…”), “The Sex Lives Of College Girls” acompanha jovens estudantes que viram colegas de quarto ao entrar na Universidade.

As protagonistas são interpretadas por quatro novatas: Pauline Chalamet (a irmã de Timothée Chalamet), Amrit Kaur (“Star Trek: Short Treks”) e as estreantes Renée Rapp e Alyah Chanelle Scott. E acabaram se provando revelações, capazes de gerar grande química e forte empatia. A crítica norte-americana babou como não costuma fazer. Se você ama “Eu Nunca…” vai adorar e, quem sabe, descobrir uma nova comédia favorita.

 

 
Sort of | Canadá | 1ª Temporada

 

Uma das comédias menos pretensiosas do ano, “Sort of” surpreende pelo humanismo profundo e por equilibrar empatia bem-humorada com boas doses de drama. A trama gira em torno de uma pessoa não binária, de família tradicional paquistanesa, que resolve virar babá em Toronto, e acaba se envolvendo tão profundamente com a família da patroa que deixa sua própria vida em pausa quando uma tragédia acontece.

A série é criada, escrita, produzida e estrelada por Bilal Baig, que ganhou projeção com uma peça sobre sua vida como gay canadense muçulmano.

 

 
Yellowjackets | Paramount+

 

Outra atração que impressionou os críticos dos EUA, “Yellowjackets” combina drama suburbano, história de sobrevivência e canibalismo.

A trama tem como ponto de partida uma história similar a de “Sobreviventes dos Andes” (1976), sobre o acidente real de avião com um time uruguaio de rúgbi, que apelou para o canibalismo para não morrer de fome no meio das montanhas chilenas. Em “Yellowjackets”, o acidente acontece com jogadoras adolescentes de futebol, que após a queda de seu avião se veem perdidas em montanhas geladas, famintas e ameaçadas por lobos.

Escrita por Ashley Lyle e Bart Nickerson (que trabalharam juntos em “The Originals” e “Narcos”), a atração se desdobra em dois tempos diferentes. Além de mostrar os desafios após o desastre, também lida com as mentiras que elas contaram após serem resgatadas, reencontrando as personagens já adultas, 25 anos depois, quando são interpretadas por Christina Ricci (“Z: The Beginning of Everything”), Juliette Lewis (“Segredos e Mentiras”), Melanie Lynskey (“Mrs. America”) e Tawny Cypress (“The Blacklist”), ao mesmo tempo em que buscam um ajuste de contas pelo que aconteceu no passado.

 

 
Cowboy Bebop | Netflix

 

“Cowboy Bebop” foi uma das séries mais marketadas pela Netflix em 2021. Só que a adaptação do cultuadíssimo anime dos anos 1990 pelo roteirista Christopher Yost (de “Thor: Ragnarok”) acabou rotulada como cópia medíocre (só 49% de aprovação no Rotten Tomatoes) ao fazer de tudo para imitar o original de Shinichirō Watanabe, desde a inclusão da mesma trilha sonora até a reprise de histórias e enquadramentos do desenho animado.

Por ironia, a série decidiu ser infiel justamente na hora de definir os intérpretes dos personagens, virando alvo de manifestações dos fãs, que podem ter influenciado a recepção crítica.

 

 
Mayor of Kingstown | Paramount+

 

Uma semana antes de virar Gavião Arqueiro na Disney+, Jeremy Renner também vira saco de pancada da imprensa norte-americana com “Mayor of Kingstown”. As resenhas foram impiedosas (25% no Rotten Tomatoes), mas se trata de uma série criada por Taylor Sheridan (“Yellowstone”), dirigida por Antoine Fuqua (“O Protetor”) e estrelada por Jeremy Renner (“Vingadores: Ultimato”), Kyle Chandler (“Godzilla vs. Kong”), Dianne Wiest (“A Mula”) e Aidan Gillen (“Game of Thrones”). A equipe chama atenção.

Repleta de cenas de ação e violência, que abrangem os dois lados da lei, com enfrentamentos atrás das grades e abusos policiais, a série gira em torno da família McLusky, considerada a verdadeira detentora do poder em Kingstown, Michigan, cidade onde o negócio do encarceramento é a única indústria próspera. Com 10 episódios, a trama pretende desenvolver temas de racismo sistêmico, corrupção e desigualdade social.

 

 
A Pequena Espiã | EUA | 1ª Temporada

 

Animação estilosa, inspirada no design de desenhos dos anos 1960, “A Pequena Espiã” adapta um clássico da literatura infantil escrito por Louise Fitzhugh. Assim como no livro, a série se passa na Nova York da década de 1960 e acompanha as aventuras de Harriet M. Welsch, uma garotinha precoce de 11 anos que decide ser uma escritora-espiã e passa a observar tudo e todos à sua volta, registrando acontecimentos em seu diário e investigando casos suspeitos da vizinhança.

Esta história já virou filme em 1996, estrelado pela então “pequena” Michelle Trachtenberg (depois irmã de “Buffy” e vilã de “Gossip Girl”).

 

 
A Máfia dos Tigres 2 | EUA | Netflix

 

Joe Exotic continua atrás das grades e o que aconteceu com o primeiro marido de Carole Baskin permanece um mistério, mas são exatamente estes os temas principais da 2ª temporada da série documental que virou fenômeno mundial. Sem avançar a trama da vida real, restam as teorias e os personagens bizarros – agora também famosos após o sucesso da produção original.

 

 
Power Book II: Ghost 2 | Starzplay

 

O Top 10 das séries que merecem atenção nesta semana se completa com a volta de “Power Book II: Ghost” no domingo (21/11). Continuação do sucesso “Power”, a atração teve a estreia mais assistida na história do canal pago Starz, com quase 7,5 milhões de visualizações na TV e no aplicativo em sua primeira semana, além do melhor desempenho no Starzplay em vários mercados, incluindo Brasil.

“Power Book II: Ghost” é a primeira de quatro séries derivadas de “Power” encomendadas pelo canal, originando um “Power Universe” concebido pela produtora Courtney Kemp.

A trama acompanha Tariq St. Patrick (Michael Rainey Jr.), enquanto ele lida com sua nova vida, as consequências de seus atos na série original e a dificuldade de se tornar digno do legado de seu falecido pai (Omari Hardwick), o Ghost do título, protagonista de “Power”. Além dos personagens da série anterior, a produção traz em seu elenco a cantora e atriz Mary J. Blige (indicada ao Oscar por “Mudbound”) e o rapper Method Man (“The Deuce”).