Instagram/Bam Margera

Bam Margera processa colegas do “Jackass”

O skatista Bam Margera, que era um dos integrantes originais da série “Jackass”, da MTV, abriu processo contra a Paramount Pictures, o ex-colega Johnny Knoxville, o diretor Jeffrey Tremaine e o produtor Spike Jonze por ter sido demitido do quarto longa-metragem da franquia, “Jackass Para Sempre”.

Em sua ação, Margera afirma que foi “coagido” a assinar um contrato que condicionava sua participação no filme a seu afastamento das drogas. O contrato previa que recaídas e outros problemas decorrentes de vício poderiam implicar no desligamento do skatista da produção. E foi o que acabou acontecendo. Mas o ex-Jackass culpa Tremaine, Knoxville e Jonze pela demissão, porque o teriam coagido a assinar o acordo.

O processo alega que Margera foi demitido após testar positivo para uso de Adderall, remédio prescrito que ele usava há mais de 10 anos. O texto ainda tenta comparar o caso do skatista com o da tutela de Britney Spears, alegando que ele sofreu consequências da exploração jurídica de seus males de saúde mental.

Uma reportagem da revista The Hollywood Reporter sobre o acordo firmado entre Margera e a produção revelou que o documento “permitia o desligamento imediato caso Margera não soprasse em um bafômetero três vezes por dia, submetesse amostras de urina duas vezes por semana, tivesse seus folículos capilares testados regularmente e tomasse pílulas toda manhã durante uma chamada de vídeo com um médico contratado pela Paramount”.

“Margera não falhou”, afirma o processo. “Ele seguiu as exigências do acordo de bem-estar à risca, sob grande custo pessoal. O tratamento dado a Margera agravou seu quadro de doenças mentais, levando a pensamentos suicidas. Ainda assim, ele perseverou, apenas para ter o tapete puxado de debaixo de seus pés”.

Desde o começo da polêmica, Johnny Knoxville tem evitado entrar em maiores detalhes sobre a demissão de Margera do novo filme. Em entrevista à revista GQ, ele afirmou apenas que torcia pela melhora de Bam, mas não entraria numa discussão pública com ele. “Queremos que Bam seja feliz e saudável e ganhe a ajuda que precisa. Tentamos seguir ao lado dele. Eu acho que é tudo que eu realmente quero dizer sobre isso”, afirmou.

Knoxville, Tremaine e Jonze terão agora que falar muito sobre isso.

Já Margera terá contra si uma ficha corrida que inclui uma prisão em 2019, após fugir de uma clínica de reabilitação e causar distúrbios em um hotel.

A morte de outro “jackass”, Ryan Dunn, ao dirigir bêbado em 2011 não serviu de alerta. Ao contrário, aumentou a vontade de Margera de se detonar. Ele até transformou seu vício em fonte de renda, ao participar de reality shows sobre seu estado deplorável. O primeiro foi “Family Therapy with Dr. Jenn”, em 2015 no canal pago VH1, seguido por “The Nine Club”, no YouTube.

Após destruir a própria casa e ameaçar a esposa, Margera chegou a ser internado à força numa instituição psiquiátrica em 2018, mas fugiu após quatro dias. Após ser retirado de um voo comercial por ser considerado bêbado demais para embarcar em 2019, ele novamente explorou seu estado no programa do Dr. Phil e foi aconselhado a se internar para valer. A nova internação durou uma semana e terminou com o skatista na prisão.

O filme que rendeu a nova confusão de Margera tem estreia marcada para 21 de outubro no Brasil, um dia antes do lançamento nos EUA.