Divulgação/Marvel

Marvel admite que Tilda Swinton em “Doutor Estranho” foi um erro

O presidente do Marvel Studios, Kevin Feige, admitiu que a controversa escalação de Tilda Swinton em “Doutor Estranho” foi um erro. Em entrevista à revista Men’s Health, ele avaliou que as críticas e reações negativas do público foi um “despertador”.

“Achamos que estávamos sendo muito inteligentes e inovadores. Não vamos fazer o clichê do homem asiático enrugado, velho e sábio. Mas foi um sinal de alerta dizer: ‘Bem, espere um minuto, existe alguma outra maneira de descobrir isso? Existe alguma outra maneira de não cair no clichê e escalar um ator asiático?’ E a resposta para isso, claro, é sim.”

Na época, a Marvel foi acusada de embranquecer o personagem, um homem asiático nos quadrinhos, que foi interpretado por uma mulher inglesa no filme.

O estúdio chegou a precisar se manifestar em defedesa da escalação de Tilda Swinton, dizendo que apoiava a diversidade e a liberdade criativa na indústria cinematográfica.

“A Marvel tem um registro muito forte de diversidade em sua seleção de filmes e regularmente se afasta de estereótipos e material de origem para dar vida ao seu MCU [Universo Cinematográfico da Marvel]. O ancião é um título que não pertence exclusivamente a um personagem, mas sim um apelido transmitido ao longo do tempo, e neste filme em particular a personificação é celta. Estamos muito orgulhosos de ter a extremamente talentosa Tilda Swinton retratando esse personagem único e complexo ao lado de nosso elenco ricamente diversificado”, disse o Marvel Studios em comunicado.

A própria Tilda Swinton disse que escalá-la para o papel foi uma tentativa de evitar estereótipos raciais ofensivos, como o “tipo de Fu Manchu, um homem antigo sentado no topo de uma montanha chamada O Ancião. Eles tomaram a decisão de não perpetuar esses estereótipos raciais”, ela afirmou.

Uma sequência do filme de 2016, chamada “Doutor Estranho no Multiverso da Loucura”, está sendo filmada atualmente para um lançamento em março de 2022.