Instagram/Zendaya

Zendaya denuncia racismo que sofreu durante o Oscar 2015

Cancelado em 2017 após muitas polêmicas, o programa “Fashion Police”, do canal pago E!, foi lembrado por Zendaya nesta quarta (17/3). Ela aproveitou que virou capa da revista de moda W para falar de elegância negra e finalmente denunciou o racismo que sofreu da apresentadora Giuliana Rancic. A denúncia foi reforçada com um post contundente em seu Instagram.

Para quem não viu ou não lembra, a atriz foi alvo de comentários racistas durante a premiação do Oscar em 2015, porque apareceu na cerimônia com dreadlocks no cabelo. Ao comentar o look de Zendaya no tapete vermelho, Rancic afirmou que sentia que a atriz tinha cheiro de “óleo de patchuli” e “maconha”.

Em seu Instagram, ela reforçou que esse comentário foi “escandalosamente ofensivo” e que “já existe uma crítica dura ao cabelo afro-americano na sociedade sem precisar da ajuda de pessoas ignorantes que optam por julgar os outros com base na ondulação de seus cabelos.”

Zendaya ainda listou uma série de pessoas proeminentes que usam dreadlocks e afirmou que seu penteado era um “símbolo de força e beleza, quase como uma juba de leão”.

Na época, a polêmica inspirou a fábrica de brinquedos Mattel a criar uma boneca Zendaya Barbie com o mesmo look da atriz na premiação. “É assim que a mudança acontece”, disse Zendaya à W Magazine. “E isso me fez pensar: como eu poderia sempre ter um impacto duradouro sobre o que as pessoas viram e associaram às pessoas negras?”

Ao refletir sobre o fato de agora estar na capa da revista norte-americana, ao lado de John David Washington, com quem contracena no drama “Malcolm & Marie”, a atriz afirmou: “Dois atores negros neste cenário parecem reescrever a história de uma maneira elegante, como uma espécie de velha Hollywood que gostaríamos que existisse. É quase como consertar um erro.”