Divulgação/Sundance Institute

Festival de Sundance anuncia exibições em drive-in e online

A organização do Festival de Sundance anunciou nesta quarta-feira (2/12) os planos para sua edição de 2021. Refletindo a tendência de adaptação dos eventos de cinema para exibições online, o tradicional festival de filmes independentes confirmou uma versão digital, mas também pretende se espalhar por drive-ins e cinemas de arte nos Estados Unidos, como alternativa às restrições trazidas pela pandemia de covid-19.

Cofundado pelo astro Robert Redford há cerca de quatro décadas e conhecido por lançar a carreira dos principais diretores dos EUA desde então, de Quentin Tarantino a Damien Chazelle, o festival vai acontecer de 28 de janeiro a 3 de fevereiro, mas sua programação, que geralmente inclui mais de 70 filmes, ainda não foi anunciada.

O detalhe é que, pela primeira vez, Sundance não será o primeiro festival de cinema da temporada, mas o último, considerando que a premiação do Oscar foi adiada para abril. Com isso, o período de elegibilidade para candidatos ao prêmio da Academia – que começou em 1º de janeiro e expiraria em 31 de dezembro de 2020 – foi estendido para 28 de fevereiro de 2021, bem depois da data do festival indie.

A Academia também anunciou que consideraria exibições em drive-in como válidas para qualificar candidatos a prêmios, espaço que Sundance pretende adotar.

O Sundance Institute planeja utilizar a tradicional cidade do festival, Park City, em Utah, para exibir alguns filmes do evento, mas leva em conta a necessidade de autorização do estado, que aumentou as restrições devido à pandemia. Por isso, também planeja alternativas, como dois cines drive-ins em Los Angeles e Nova York, simultaneamente à estreias online, e transformar as sessões de perguntas e respostas com equipe dos filmes em evento virtual ao vivo.

“Mesmo sob essas circunstâncias impossíveis, os artistas ainda encontram caminhos para fazer um trabalho ousado e vital de todas as maneiras que podem”, disse a diretora do festival Tabitha Jackson, em comunicado.

Segundo ela, as exibições online e estreias socialmente distantes da Califórnia a Nova York “nos dão a oportunidade de alcançar novos públicos, com segurança, onde eles estão”.

Este ano, os principais festivais de verão e outono – com exceção de Veneza – cortaram a maioria de seus eventos presenciais ou, no caso de Cannes e Telluride, foram totalmente cancelados.

Já o Festival de Toronto – o maior evento de cinema da América do Norte – aconteceu principalmente online, assim como a Mostra de Cinema de São Paulo, no Brasil.