Divulgação/TV Record

Em entrevista contundente, Marcius Melhem se defende e revela mensagens de Dani Calabresa

O ator e ex-diretor da Globo Marcius Melhem deu uma entrevista a Roberto Cabrini, no “Domingo Espetacular” desse final de semana (20/12), como parte de sua estratégia de defesa contra as acusações de assédio sexual reveladas por uma reportagem da revista Piauí. Em um depoimento contundente e sem evitar nenhuma pergunta, ele divulgou algumas mensagens trocadas com a atriz Dani Calabresa, que contrariam esta narrativa, e disse que precisou entrar na Justiça, porque passou a ser acusado de assédio e a receber ameaças de morte, sem que exista um processo contra ele.

Por conta própria, ele resolveu entrar com interpelação contra Dani Calabresa e a advogada Mayra Cotta, para tentar provar, na Justiça, que é vítima de mentiras motivadas por vingança profissional. Segundo seu relato, ele e Calabresa mantinham uma relação íntima e amigável entre os anos de 2017 e 2019, época em que a teria assediado moral e sexualmente, na descrição detalhista da Piauí.

Na entrevista, ele chamou o relato da revista de mentira. “Esta narrativa é totalmente mentirosa. Ela não é fantasiosa, ela é mentirosa”, acusou Melhem. E quando Cabrini apontou que existiriam testemunhas, ele replicou: “Testemunhas que não aparecem, porque ninguém assume essa narrativa. Se as pessoas aparecerem, estarão mentindo, porque tem muitas outras testemunhas que viram exatamente o que aconteceu naquela festa”.

A tal festa citada foi uma confraternização do programa “Zorra”, em 2017, na qual, de acordo com a revista Piauí, Melhem teria tentado agarrar Dani Calabresa à força na saída do banheiro, inclusive colocando seu pênis para fora. Sem entrar em mais detalhes, o ator avisou que só falaria sobre o que aconteceu entre ele e Calabresa naquele evento na Justiça. “Não vou expor ninguém”, disse. Ele já tinha sido acusado anteriormente pela advogada Mayra Cotta de expor Calabresa ao incluir as mensagens de voz no processo.

“Eu nunca imobilizei ninguém na vida, essa descrição é nojenta, é o que está me causando problemas. Essa descrição é um delírio, é de alguém que quer muito me prejudicar”, acrescentou.

Melhem também atacou a credibilidade de outra acusação da revista, que alega que ele teria ido aos estúdios durante uma gravação para ver Dani Calabresa de maiô, dizendo “Vim aqui dar uma conferida”. “Esta frase, esse dia, isso tudo, nada disso aconteceu”.

A cena em que Calabresa gravou de maiô não aconteceu no estúdio, e sim na praia de Grumari, na zona oeste do Rio de Janeiro, e sem a presença de Melhem. “Eu nunca fui numa externa do ‘Zorra’ e, quando vai gravar externa, é um ônibus-camarim, onde fica todo mundo. Ela nunca taria sozinha”, relatou. “Toda cena de praia no ‘Zorra’ é gravada na praia. Ela nunca ficou de maiô nos estúdios. Esta [descrição da] cena é completamente falsa”.

Ele aponta que essa situação já foi desacreditada, mas mesmo assim as pessoas insistem que o resto é verdadeiro. Ele questiona: “Agora, porque [se aceita] que esta [descrição de] cena é falsa e a do banheiro é verdadeira?”. “Como é que um jornalista ouve 43 pessoas, como ele diz que ouviu na matéria, erra até o dia da festa e narra com detalhes, como se ele tivesse visto a cena… o sentimento da Dani, ela abrir a porta, o constrangimento… Ele narra toda uma cena que jamais aconteceu”.

Entre as mensagens fornecidas por Melhem e reproduzidas pelo programa, está uma gravação de voz enviada por Calabresa no dia 12 de novembro de 2017, oito dias depois da festa de confraternização.

Na data, dia de seu aniversário, Calabresa agradecia uma postagem que o ator fez no grupo de WhatsApp do programa “Zorra”, em que a felicitava. No áudio, ela se define como fã do chefe, diz “eu te amo” e até propõe uma viagem à Disney com as filhas do ator.

“Chefe, estou mandando este áudio para agradecer a mensagem linda que você mandou no grupo. Todas as mensagens que você manda sempre de apoio e de carinho. Nossa, você não tem ideia como fico feliz de saber que você me acha talentosa. Eu sou sua fã para caralho”, afirma Calabresa na mensagem.

Na mensagem de voz, Calabresa ainda agradece se descreve extremamente feliz. “Estou muito feliz de verdade. Te amo muito. Um beijo para as suas filhinhas lindas. Vamos para a Disney juntos”.

Para atestar a veracidade dos diálogos, Melhem contratou ainda uma empresa especializada que realizou procedimentos forenses de coleta e guarda das mensagens, o que comprovaria a integridade dessas informações.

Melhem afirma que toda a correspondência posterior entre eles também evidencia que a relação pessoal e profissional dos dois se manteve harmoniosa, com a mesma afetuosidade, nos meses e anos seguintes à festa, até maio de 2019.

Ele divulgou trechos de mensagens posteriores, de até um ano depois daquela festa, em que Calabresa demonstra muita intimidade e descreve que adora trabalhar em qualquer projeto dele.

O tom só mudou a partir do ano passado, após uma desavença que supostamente teria criado a crise entre Calabresa e Melhem. A briga não teria componente sexual.

O rompimento aconteceu na noite de 3 de maio de 2019, durante a leitura do piloto do que viria a ser o programa “Fora de Hora”. Escalada como âncora de um telejornal satírico em que contracenaria com o ator Paulo Vieira, Calabresa se queixou do texto reservado a ela e pediu para mudar tudo, dizendo que preferiria contracenar com Bento Ribeiro, seu colega no antigo programa “Furo”, da MTV, na bancada do telejornal, e com sua própria equipe de roteiristas.

Calabresa teria sido cortada do projeto após dar piti e chorar na reunião, diante de toda a equipe.

Melhem garantiu que a saída da comediante da atração não teria sido sua decisão apenas, mas sim uma decisão coletiva dos demais envolvidos. “Eu quero chegar na Justiça porque isso que Dani está fazendo comigo é um processo de vingança. Nós tivemos um desentendimento profissional em 2019, durante numa leitura do que viria a ser o programa ‘Fora de Hora’. Ela, diante de todos os presentes, disse que o texto estava mal escrito, queria os autores dela e que não queria fazer o programa com o Paulo Vieira. Ela queria fazer o programa com o Bento Ribeiro, que trabalhou com ela na MTV”, acusou o artista.

“Ela chorou, eu fiquei duas horas consolando ela. Pessoas ficaram constrangidas. Mas ela estava irredutível e nós da equipe decidimos que seria melhor ela não participar do projeto. Foi uma decisão coletiva, não minha”, reforçou.

Teria sido a partir daí, na visão de Melhem, que Calabresa passou a ter “ódio” dele e fazer ilações: “Naquele momento eu passo a ser a pior pessoa do mundo e sou acusado por coisas que eu nunca fiz”.

Durante a entrevista, ele e disse arrependido de ter traído a ex-mulher, Joana Rosenfeld, e por manter o que chamou de relações consensuais com mulheres que trabalharam com ele nos bastidores da Globo, algumas por mais de um ano. “Nunca fiz um ato de violência com quem quer que seja. Que eu saiba não. Que eu entenda, não. Eu tive relações consensuais com pessoas que trabalhavam comigo. Relações muitas vezes longas, de um ano ou dois, mas elas não ganharam nada por causa disso”, ressaltou.

“Entendo que isso possa ser uma zona cinzenta, pode ser que pessoas tenham tido relações comigo, esperando ganhar alguma coisa, mas nunca foi algo explícito”, argumentou. “Eu nunca usei o meu poder para me relacionar com qualquer pessoa que seja, nem nunca troquei favores. Nem coagi ninguém”.

Ao final da conversa, Melhem salientou porque decidiu entrar com processo contra a advogada que representa Calabresa e outras atrizes que teriam sido assediadas por ele, mas cuja identidade estão sendo mantidas em segredo.

“Não existe uma advogada que só fala na TV, no jornal, na internet. Nós já entramos com uma representação contra ela e interpelamos a Dani para que ela confirme ou negue o teor da reportagem da Piauí, que nós dois sabemos que não é verdade”, explicou, reforçando que quer o caso na Justiça.

“Eu sou o único acusado que está pedindo pra ser réu”, encerrou.

Veja abaixo trechos da entrevista.