Divulgação/Pinkfong

Baby Shark supera Despacito como clipe mais visto em todos os tempos

O clipe da música infantil insanamente repetitiva “Baby SharK” ultrapassou “Despacito” de Luis Fonsi e Daddy Yankee como o vídeo do YouTube mais visto de todos os tempos.

A canção produzida em 2016 na Coreia do Sul segue a tradição da indústria musical do país para criar vídeos coloridos e hipnóticos, que tem rendido sucessos grudentos desde os recordes de visualização quebrados por “Gangnam Style”, do cantor Psy, em 2012.

O novo recorde de “Baby Shark” veio com a versão em inglês da canção, um remix (“Baby Shark Dance”) realizado pela produtora Pinkfong, com sede em Seul, que registrou mais de 7 bilhões de reproduções no YouTube, número atingido na madrugada desta segunda-feira (2/11), destronando o reggaeton da dupla Luis Fonsi e Daddy Yankee como o líder de visualizações da plataforma.

Em sua escalada para o recorde, a música chegou a entrar na parada de sucessos Hot 100 da Billboard, em janeiro de 2019, e também foi adotada como “hino” pela equipe americana de beisebol Washington Nationals, que venceu o campeonato nacional (World Series) do ano passado. Isto também levou a Casa Branca a reproduzir a melodia durante as celebrações.

Mas a canção também foi utilizada de várias outras formas. Virou instrumento de tortura da cidade americana de West Palm Beach, na Flórida, quando sua repetição insistente no volume máximo serviu para desencorajar os sem-teto a permaneceram em uma área pública. E também funcionou como reforço educativo, ao ganhar nova letra (“Wash Your Hands”: lave suas mãos) para ensinar às crianças americanas a importância da higiene pessoal na luta contra a pandemia de covid-19.

“Sem o amor e apoio dos fãs ao redor do mundo, o novo recorde de ‘Baby Shark’ teria sido impossível”, disse Min Seok Kim, CEO da SmartStudy, empresa controladora da Pinkfong, em um comunicado. “Estamos muito honrados com este recorde e continuaremos a nos concentrar em fornecer entretenimento de alta qualidade além das plataformas digitais.”

Confira o vídeo recordista abaixo.