Divulgação/Momentum Pictures

Top 10 das estreias online da semana destaca filmes de Halloween

A programação de filmes digitais entra em clima de Halloween nesta semana, com várias opções temáticas em streaming e VOD.

Embora o Top 10 inclua apenas um título do projeto de terror da Amazon, “Welcome to the Blumhouse”, dedicado a novos cineastas e produzido pelo estúdio Blumhouse (que lançou “Atividade Paranormal”, “Corra” e “O Homem Invisível”), não faltam horrores para animar os fãs do gênero, do slasher mais extremo ao suspense psicológico.

Mas nem todas as tramas selecionadas são sangrentas. Os cinéfilos que não seguem calendário temático também podem encontrar muitos destaques de festivais entre os lançamentos.

Veja abaixo as 10 sugestões semanais da Pipoca Moderna, encontradas em meio ao dobro de lançamentos online.

A Jornada | França, Alemanha | 2019

Escrito e dirigido pela cineasta francesa Alice Winocour (“Cinco Graças”), o filme traz Eva Green (“Dumbo”) como uma astronauta que se prepara para embarcar numa viagem a Marte, mas encontra dificuldades em equilibrar a vida de mãe solteira – de uma criança muito carente – com o árduo treinamento da Agência Espacial Europeia. Premiado nos festivais de Toronto (Canadá) e San Sebastian (Espanha), “A Jornada” também inclui em seu elenco o americano Matt Dillon (“A Casa que Jack Construiu”) e a alemã Sandra Hüller (“Toni Erdmann”).

Disponível na Apple TV/iTunes, Google Play, Looke, Now, Oi Play, Vivo Play e YouTube Filmes.

O Chão Sob Meus Pés | Áustria | 2019

Exibido em vários festivais, o filme de Marie Kreutzer (“Fatherless”) acompanha uma jovem executiva (Valerie Pachner, de “Uma Vida Oculta”) que vê a eficiência de que sempre se orgulhou começar a falhar. Ninguém sabe do histórico de doença mental de sua irmã mais velha (Pia Hierzegger, de “Hotel Rock’n’Roll”) ou mesmo sobre sua família. Mas quando ela inicia uma relação escondida com sua chefe, um evento trágico força a irmã perturbada de volta à sua vida, fazendo seu domínio sobre a realidade entrar em colapso. Originalmente programado para 19 de março, semana em que os cinemas do país começaram a fechar devido à pandemia de coronavírus, acabou saindo direto em streaming no Brasil. Mas é elogiadíssimo, com 93% de aprovação no Rotten Tomatoes.

Disponível na Now.

O Pai | Bulgária | 2019

Melhor Filme do Festival Karlovy Vary, acompanha o confronto entre um pai e um filho distantes, quando o filho retorna para sua pequena cidade para comparecer ao funeral da mãe. Convencido a buscar ajuda de um médium para entrar em contato com a esposa, o pai do título é confrontado pelo filho, que tenta dissuadi-lo da ideia, levando-os a iniciar uma jornada que os fará enfrentar a culpa que sentem em relação à perda, além dos problemas de seu próprio relacionamento. Exibido no Brasil na Mostra de São Paulo do ano passado, o filme é uma comédia dramática capaz de fazer rir e chorar, e confirma o talento dos cineastas Petar Valchanov e Kristina Grozeva, premiados com o troféu de Melhores Diretores Estreantes no Festival de San Sebastian de 2014 por “A Lição”.

Disponível na Looke, Now e Vivo Play.

The Forty-Year-Old Version | EUA | 2020

Comédia indie premiada sobre artista de juventude promissora que só estoura após se reinventar como rapper aos 40 anos de idade. O filme foi escrito, dirigido e estrelado por Radha Blank, roteirista-produtora de “Ela Quer Tudo”, que pela primeira vez se coloca em posição de destaque diante e atrás das câmeras. Na trama, ela vive sua homônima Radha, uma dramaturga sem sorte de Nova York, que ganhou um prêmio de revelação aos 20 e poucos anos e ainda aguarda ser descoberta aos 40. Reinventando-se como a rapper RadhaMUSPrime, ela busca forças no hip-hop para encontrar sua verdadeira voz. Por ironia, um dos prêmios conquistados por Radha Blank com o filme foi o mesmo da sua personagem, como uma diretora “para se observar”, troféu dado pelo Festival de Palm Springs. Felizmente, o Festival de Sundance reconheceu que Radha é uma diretora que merece reconhecimento já. Com “The Forty-Year-Old Version”, ela venceu o troféu de Melhor Direção no maior festival indie dos EUA, em janeiro passado.

Disponível na Netflix.

A Casa do Terror | EUA | 2020

Escrito e dirigido pela dupla Scott Beck e Bryan Woods, roteiristas de “Um Lugar Silencioso” (2018), “Haunt” (título original) é uma homenagem ao gênero slasher, dos serial killers mascarados dos anos 1980, mas também tem inspiração em “Jogos Mortais”. Na trama, um grupo de amigos resolve ter uma experiência “extrema” de Halloween e se candidata a um passeio por uma casa fantasmagórica. Especialmente adaptada para a ocasião, ela é decorada como um labirinto de parque de diversões. Mas conforme encontram os psicopatas mascarados, que espreitam para lhe dar sustos no escuro, e as armadilhas que deveriam ser de mentirinha, eles percebem que a brincadeira é mais mortal que imaginavam.

Disponível na Amazon.

Caixa Preta | EUA | 2020

Melhor dos dois filmes iniciais da antologia de terror “Welcome to the Blumhouse”, produzidos pelo estúdio Blumhouse para a Amazon, “Caixa Preta” tem ecos de “Black Mirror” ao acompanhar um pai viúvo (Mamoudou Athie, de “Ameaça Profunda”) que, após perder a esposa e a memória em um acidente de carro, passa por um agonizante tratamento experimental que o leva a questionar quem ele realmente é. Roteiro e direção são de Emmanuel Osei-Kuffour Jr., curta-metragista premiado que assina seu primeiro longa.

Disponível na Amazon.

O Halloween de Hubie | EUA | 2020

Adam Sandler vive um homem obcecado pelo Halloween, que é a piada da cidade, até que fatos estranhos começam a acontecer e ele se torna o mais capacitado para desvendar o mistério. A equipe criativa é a mesma de outros filmes do comediante, o roteirista Tim Herlihy (“O Rei da Água” e “O Paizão”) e o diretor Steven Brill (“Um Diabo Diferente”, “Sandy Wexler”). Já os coadjuvantes incluem Julie Bowen (“Modern Family”), Maya Rudolph (“Missão Madrinha de Casamento”), Ray Liotta (“Os Bons Companheiros”), Noah Schnapp (“Stranger Things”), June Squibb (“Nebraska”), Kenan Thompson (“Kenan e Kel”), Tim Meadows (“Schooled”), Michael Chiklis (“The Shield”), China Anne McClain (“Black Lightning”), Paris Berelc (“Crush à Altura”) e Peyton List (“Light as Feather”), que se juntam aos amiguinhos obrigatórios de Sandler, Rob Schneider, Kevin James e Steve Buscemi.

Disponível na Netflix.

Salve-Se Quem Puder! | EUA | 2020

Comédia indie exibida no Festival de Sundance sobre um casal que resolve se desconectar do mundo numa cabana isolada, mas escolhe o fim de semana em que alienígenas invadem a Terra. Os protagonistas são conhecidos dos fãs de séries: Sunita Mani (“GLOW”) e John Reynolds (“Search Party”).

Disponível na Apple TV/iTunes, Google Play, Looke, Now e YouTube Filmes.

Até que Você Me Ame | EUA | 2018

Muito falado, este suspense psicológico de baixíssimo orçamento antecipou a acusação de misoginia feita contra “365 Dias” (2020), ao transformar a premissa do sucesso “romântico” da Netflix numa verdadeira “Louca Obsessão” (1990). A trama acompanha uma mulher mantida cativa para se apaixonar por seu sequestrador. A obsessão é tão doentia que ela tem as pernas feridas – e tratadas, de forma fetichista – para não ter sequer a capacidade de escapar. Mas a mulher não se dá por vencida e encontra formas de se exercitar e recuperar a mobilidade. Uma curiosidade da produção é que a norueguesa Ingvild Deila foi dublê de corpo de Carrie Fisher, aparecendo como a versão jovem da Princesa Leia em “Rogue One” (2016).

Disponível no Cinema Virtual.

Zona Árida | Brasil, EUA | 2018

Documentário sobre a cidade de Mesa, eleita a mais conservadora dos Estados Unidos de acordo com um estudo de 2014. A diretora Fernanda Pessoa, que morou lá na adolescência, acompanhou os moradores durante as eleições presidenciais de 2016 que elegeram Donald Trump, revelando as entranhas de desigualdade social, xenofobia, obsessão por armas e até a propensão ao terrorismo, entre outros problemas que são comuns em Mesa. Ao mostrar o lado mais sombrio dos EUA, o filme recebeu menção honrosa no Festival Internacional de Documentário e Animação de Leipzig, também conhecido como Dok Leipzig, em 2019.

Disponível na Now e Vivo Play.