Divulgação/Television Academy

Como será o Emmy 2020, com vencedores de pijama e apresentação remota?

A premiação oficial do Emmy, que acontece na noite deste domingo (20/9), vai acontecer em circunstâncias especiais, onde tudo pode acontecer. Quem garante é o próprio apresentador, Jimmy Kimmel, que está escalado para a missão de comandar o evento, direto do Staples Center, em Los Angeles, mas sem plateia e com poucos convidados.

Ao contrário da distribuição preliminar de troféus (chamada de Creative Arts) que entregou uma centena de Emmys em apresentações pré-gravados e exibidos online entre segunda e sexta, e na TV no sábado (19/9) – consagrando produções de animação, reality show, documentário e variedades, além de categorias técnicas (veja a lista) – , as vitórias dos indicados nas categorias principais serão reveladas ao vivo.

A ideia é mostrar a reação de vitória dos astros em suas casas, onde os produtores instalaram câmeras.

A iniciativa, que se adapta a esses tempos de pandemia, representa o fim do tapete vermelho da premiação, culminando numa troca dos vestidos de grife, usados pelas estrelas para desfilarem diante dos paparazzi, por um visual despojado. De fato, os artistas foram incentivados a aparecerem com a roupa que desejarem na transmissão à distância. Isto significa que os pijamas foram liberados.

Jimmy Kimmel, que já apresentou o Emmy duas vezes anteriormente, será acompanhado por pelo menos 12 estrelas no palco oficial do evento. Eles apresentarão algumas das categorias e, para garantir a segurança de todos, sem que precisem aparecer de máscaras na TV, a cerimônia trocou o tradicional Microsoft Theater pelo espaço bem mais amplo do Staples Center, uma arena de esportes e shows musicais.

Em entrevista à revista Variety, Kimmel disse que será estranho fazer a apresentação sem sentir a reação do público. “Claro, é mais engraçado quando você tem aquelas gargalhadas por conta das piadas nas quais você trabalhou duro durante meses, mas o que se pode fazer? É uma pandemia!”, ele observou.

O apresentador também revelou que sua maior preocupação é que esse novo formato não entedie o público – como claramente aconteceu nas premiações pré-gravadas do Creative Arts Emmy. “Será um sucesso se não for entediante, isso é o que me preocupa mais”, afirmou. E deu exemplo: “Eu espero que o evento não vire o típico registro de vencedores ‘sentados em frente ao seu monitor com sua seleção de livros ao fundo’. Eu espero que as famílias dos indicados fiquem loucas quando eles vencerem”.

Mas e se der errado? Ian Stewart, produtor executivo do Emmy, disse ter certeza que dará errado. “Não vai funcionar o tempo inteiro. Simplesmente não vai. E temos que aceitar e seguir em frente!”, ele afirmou, em entrevista ao The Hollywood Reporter.

Curiosamente, Kimmel torce para que dê mesmo errado. “Eu tenho um lado masoquista estranho, eu gosto de me colocar em situações difíceis. Então, se o pior acontecer e tudo der errado, definitivamente vai ter uma parte de mim se divertindo com aquilo”, admitiu.

Ele tem alguma experiência em comandar desastres. Jimmy Kimmel foi o apresentador do Oscar de 2017, em que a dupla Warren Beatty e Faye Dunaway anunciou “La La Land” como vencedor, quando na verdade quem tinha vencido a categoria de Melhor Filme foi “Moonlight”.

O que poderia superar isso no Emmy virtual? “Nosso wi-fi ser cortado e eu ter que falar por três horas”, concluiu Kimmel.

A premiação principal do Emmy 2020 será exibida no Brasil a partir das 21h pelo canal pago TNT.