Produção de Michael Bay sobre a pandemia é paralisada por descumprir regras de proteção

O filme “Songbird”, que pretendia ser a primeira grande produção hollywoodiana a abordar a pandemia de coronavírus, teve suas filmagens proibidas. Justamente por causa da pandemia de covid-19.

Produzido por Michael Bay (“Transformers”), o filme contaria com astros como Demi Moore (“Margin Call”), Craig Robinson (“Ghosted”) e Peter Stormare (“Deuses Americanos”), mas recebeu ordem do SAG-AFTRA, o sindicato dos atores dos EUA, para não iniciar os trabalhos.

O SAG-AFTRA acusou os responsáveis pelo filme de “não serem transparentes sobre suas medidas de segurança” relacionadas ao coronavírus. “Isso é algo que, obviamente, nós levamos muito a sério”, disse o porta-voz da instituição ao site The Hollywood Reporter.

“Além disso, como explicitamos na ordem que enviamos ao filme, os produtores não aceitaram assinar o nosso acordo”, completou, referindo-se a um documento do sindicato estabelecendo as regras obrigatórias para todas as produções que quiserem retomar atividades em meio à pandemia.

O filme tem direção de Adam Mason (“A Cadeira do Diabo”), um especialista em terrores baratos, que co-escreveu o roteiro com Simon Boyes (“Má Conduta”). Os dois já trabalharam juntos em sete filmes, desde a estreia de ambos em “Jogos Sangrentos” (2006).

A trama abordaria um futuro próximo que mostraria o agravamento do quadro da pandemia, no qual o mundo continuaria sob severas ordens de isolamento.

A produção cita filmes como “Atividade Paranormal” e “Cloverfield” como influências para criar “um clima de paranoia” na sua trama. Os dois filmes são mais conhecidos por usar cenas captadas por câmeras amadoras, manipuladas pelos próprios atores. São exemplos da estética “found footage”, cuja narrativa é construída sobre vídeos “encontrados” após os fatos, com as imagens da trama.

A equipe acertou detalhes da pré-produção através de videoconferências, tecnologia que também foi usada no processo de escalação e preparação dos atores.

“Songbird” foi o segundo filme proibido de iniciar suas filmagens pelo sindicato devido à problemas no protocolo de proteção da covid-19. Anteriormente, o SAG-AFTRA tinha impedido as filmagens de uma comédia chamada “Courting Mom & Dad”, estrelada por Scott Baio (“See Dad Run”) e Kristy Swanson (“SEAL Team”).