John Boyega vira herói da resistência real após discurso poderoso contra racismo

O ator John Boyega, líder da resistência na franquia “Star Wars”, fez um discurso poderoso e emocionante diante de milhares de pessoas no Hyde Park, em Londres, como parte dos protestos internacionais contra o racismo estrutural, que surgiram como reação ao assassinato de George Floyd por policias brancos em 25 de maio, nos EUA.

Vídeos do ator falando para a multidão viralizaram nas redes sociais, onde é possível vê-lo falando com toda a força de seus pulmões, expressando raiva e dizendo que poderia estar acabando com a própria carreira ao se manifestar daquela forma. Mas o caso não podia ser mais diferente. O perfil oficial de “Star Wars” o chamou de “herói”, a produtora Blumhouse fez coro e vários cineastas, entre eles Jordan Peele (“Corra!”) e Mike Flanagan (“Doutor Sono”), além do showrunner Charlie Brooker (criador de “Black Mirror”), lhe transmitiram apoio, sugerindo que ele estava “garantido” e não precisava se preocupar em ficar desempregado.

“Vidas negras sempre importaram. Nós sempre fomos importantes. Nós sempre significamos algo. Nós sempre vencemos, apesar das dificuldades”, declarou o ator em um megafone.

“Nós [manifestantes] somos a representação física do nosso apoio a George Floyd”, continuou. “Estou falando com vocês do meu coração. Olha, eu não sei se vou ter uma carreira depois disso, mas f***-se. F***-se **** ****, f***-se a ******. Isso é mais vital”, proclamou o ator, listando os nomes de homens e mulheres negros mortos pela polícia nos últimos anos, com destaque para britânicos. “Eu preciso que vocês entendam o quão dolorosa essa m**** é.”

“Hoje trata-se de pessoas inocentes que estavam no meio de seu processo [de vida]”, Boyega continuou, enquanto lutava contra as lágrimas. “Não sabemos o que George Floyd poderia ter conquistado, não sabemos o que Sandra Bland poderia ter conseguido, mas hoje vamos garantir que esse pensamento não seja estranho para nossos jovens”, afirmou o ator.

“Toda pessoa negra aqui se lembra de quando outra pessoa te lembrou que você era negro… Preciso que você entenda o quão doloroso isso é. Preciso que você entenda quão doloroso é ser lembrado todos os dias de que sua raça não significa nada”, continuou Boyega.

Após uma pausa para conter o choro, ele pediu para os homens negros cuidarem melhor de suas mulheres. “Elas são o nosso coração, elas são o nosso futuro. Não podemos demonizar nossos semelhantes, nós somos os pilares da família”, disse.

“Imaginem isso: uma nação que é construída com famílias que estão se desenvolvendo, que são saudáveis, que se comunicam, que criam seus filhos com amor, que têm maiores chances de se tornarem seres humanos melhores, e é isso o que precisamos criar”, declarou.

Poucas horas depois, num tuíte do feed oficial da conta de “Star Wars”, a Lucasfilm definiu o intérprete de Finn como um “herói”. “A LucasFilm está com John Boyega”, dizia o texto da mensagem que citou frases que ele proferiu, incluiu um link para o vídeo do discurso completo, expressou apoio ao movimento Black Lives Matter (Vidas Negras Importam) e concluiu dizendo: “John Boyega, você é nosso herói”.

Ele recebeu várias outras mensagens de apoio ao longo do dia. Mas foi um anônimo que melhor definiu o impacto de seu discurso. “John Boyega não precisa de ‘Star Wars’ para ser um general da rebelião”, escreveu um perfil do Twitter dedicado ao famdom de “Star Wars”.