Filmes do cancelado Festival de Cannes competirão no Festival de San Sebastian

A pandemia de covid-19 impediu a entrega da Palma de Ouro em 2020, mas os filmes selecionados para o cancelado Festival de Cannes ainda terão a chance de vencer a Concha de Ouro, prêmio principal do Festival de San Sebatian, evento cinematográfico de maior prestígio da Espanha.

Os dois festivais firmaram uma parceria e San Sebastian incluirá os títulos selecionados para a competição de Cannes em sua disputa oficial, que vai acontecer entre 18 e 26 de setembro – logo após o Festival de Veneza e simultaneamente ao Festival de Toronto.

“Circunstâncias excepcionais, medidas excepcionais”, disse Thierry Frémaux, diretor artístico de Cannes, em comunicado, que revelou detalhes de sua programação cancelada, sem, entretanto, nomear nenhum dos filmes selecionados.

A revelação dos títulos acontecerá posteriormente, mas já se sabe que entre eles figuram obras como “The French Dispatch” de Wes Anderson, “Comes Morning” de Naomi Kawase, “Memoria” de Apichatpong Weerasethakul, e “Another Round” de Thomas Vinterberg. Graças aos acordos firmados por Cannes, esses títulos também serão exibidos em outros festivais de fim de ano, ao redor do mundo. O festival físico de Cannes teve que ser cancelado por causa da pandemia de coronavírus

Depois de ver seus planos de realização e posterior adiamento inviabilizados pela pandemia, a organização do Festival de Cannes decidiu que revelaria sua seleção oficial e promoveria sua exibição em festivais parceiros em todo o mundo. Além de San Sebastian, Frémaux fechou exibições nos festivais de Toronto, Pusan, Deauville, Pusan e Nova York.

Ao todo, Cannes escolheu 56 filmes em sua seleção oficial de 2020. Eles incluem longas que seriam exibidos em mostras paralelas e fora de competição, mas que agora serão reunidos em uma única lista, não divididos nas categorias tradicionais do festival.

Frémaux também divulgou estatísticas que mostram que 16 filmes, ou 28,5% do total, foram dirigidos por mulheres, em comparação com 14 títulos (23,7%) do ano passado.

“Esse número crescente de diretoras na seleção é resultado de uma evolução observada por vários anos”, observou Frémaux. “Ela atesta, em número e em valor, a contribuição artística e humana das mulheres no cinema contemporâneo, sejam elas diretoras ou técnicas”, disse o responsável por Cannes.

A seleção oficial incluiu filmes dos EUA, Coréia do Sul, Japão e Reino Unido, mas também de territórios raramente representados em Cannes, como Bulgária, Geórgia, Congo. Mas o cinema francês, sempre destacado em Cannes, seria particularmente forte este ano, com 21 títulos na escalação oficial, em comparação com os 13 do ano passado e os 10 de 2018.

A Frémaux anunciará a programação completa do que seria o Festival de Cannes 2020 na quarta-feira (3/6).