blank

Netflix volta a gravar séries inéditas em plena pandemia

Com a diminuição de seu estoque de atrações inéditas, a Netflix começa lentamente a voltar a gravar produções originais, mesmo que a pandemia do novo coronavírus ainda esteja longe de ter sido superada. Para isso, a plataforma está adotando diferentes métodos de controle sanitário, entre eles trabalhar apenas nos países que estão retomando as atividades e considerar uma estratégia de segurar elenco e equipe completos das produções numa quarentena durante o período de gravações.

Quem explicou a estratégia foi o diretor de conteúdo da empresa, Ted Sarandos, em artigo publicado no Los Angeles Times, no qual conta como a Netflix está organizando o retorno de suas produções.

“As gravações geralmente ocorrem em ambientes reservados, com dezenas de artistas e técnicos trabalhando juntos em prazos apertados. Embora tenhamos que mudar esse processo — em alguns casos dramaticamente — para garantir a segurança de elencos e equipes durante essa pandemia, a natureza fechada dos sets também oferece algumas vantagens. Além disso, eles fornecem um ambiente relativamente controlado, onde podemos rastrear quem entra e sai”, escreveu o responsável pelas séries da Netflix no mundo todo.

O executivo explicou que a medida levará em conta a realidade de cada país e deu como exemplo a Suécia, em que existem poucos testes disponíveis. Para realizar gravações naquela localidade, a Netflix deverá colocar todos os atores e funcionários da produção em quarentena por 14 dias e, depois, ficarão isolados nas gravações num período intenso de 11 dias consecutivos de trabalho.

Na Islândia, por outro lado, a opção é um pouco diferente, porque o governo ofereceu testes para praticamente todos os moradores.

O diretor islandês Baltasar Kormákur (de “Everest”), por exemplo, já está rodando a série “Katla”, drama sobrenatural em oito episódios, adotando como medidas testes frequentes e utilização de seu próprio estúdio na Islândia, onde ninguém entra sem ser testado para covid-19.

“Katla” começou a ser gravada antes da pandemia se alastrar pela Europa e, após uma interrupção, voltou a ser gravada há cerca de três semanas com uma equipe reduzida. “Tudo foi feito de uma maneira segura. Sinceramente, acredito que você provavelmente está mais seguro nesse set do que em qualquer outro lugar. Como vivo com quatro filhos, variamos de seis a oito pessoas na minha casa e não tem como ficarem todos presos em casa. Eu acho que por causa da quarentena e das medidas que fizemos no set, ele realmente se tornou um local muito mais seguro”, ele disse em entrevista ao site Deadline.

No Brasil, não há previsão de retomada dos trabalhos, graças à disparada de casos confirmados de contaminação e crescimento de mortos diários. Embora o país não tenha sido citado por Sarandos, a plataforma não tem muitas produções nacionais em desenvolvimento. Apenas “Coisa Mais Linda” e “Sintonia” tiveram encomenda de novos episódios anunciadas e não há informações a respeito de novas produções aprovadas.

“O negócio de dar vida a histórias na tela baseia-se em parceria e confiança. Só progrediremos se todos que retornarem ao set, estejam na frente ou atrás da câmera, se sentirem seguros em fazê-lo. Sem essa confiança básica, o processo criativo falha”, concluiu Sarandos.