Ira! homenageia Marielle Franco e militância feminina em novo clipe



A banda Ira! voltou a compor, 13 anos depois de lançar seu último disco de estúdio. E uma das novas músicas, “Mulheres à Frente da Tropa”, ganhou nesta semana um clipe em tom engajado, mostrando que, embora siga uma linha mais banquinho e violão (ao estilo de “Ira! Folk”), a ira de Edgar Scandurra e Nasi continua forte.

Gravado nas ruas do centro de São Paulo, com direito a passeata feminina (e LGBTQ+) no minhocão e cenas nas dependências da Ocupação 09 de Julho, o clipe também presta homenagem à Marielle Franco, vista em pinturas e murais, além de Dandara dos Palmares, ícone da luta contra a escravidão, e Preta Ferreira, líder do movimento MSTC (Movimento Sem Teto do Centro).

A líder indígena guarani Sônia Ana Mirim, a bailarina Sandra Miyazawa, Carmen Silva do MSTC e várias outras ativistas, estudantes e artistas também participam da gravação, que foi dirigida por Luciana Sérvulo (do documentário “Hijos de La Revolución”) e termina em momento de realismo mágico, com Miyazawa de punho erguido, voando entre os prédios.


Outro detalhe, desta vez musical, caracteriza a participação feminina na gravação. Um coro de vozes acompanha a melodia. Entra elas, está a da cantora Virginie Boutaud, que fez sucesso nos anos 1980 à frente da banda Metrô.

“Mulheres à Frente da Tropa” é o primeiro clipe do próximo disco do Ira!, que já teve algumas faixas (muito boas) reveladas por Scandurra em versões “psicoacústicas”, durante lives da quarentena do novo coronavírus.



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings