Ava DuVernay fará live com cineastas negros brasileiros


A cineasta americana Ava DuVernay (“Uma Dobra no Tempo”) vai realizar uma live nesta quinta (9/4), no Instagram, em que vai conversar com vários cineastas negros brasileiros. O evento quer dar visibilidade para os jovens diretores negros do cinema brasileiro – roteiristas, diretores, atores e produtores – e discutir a falta de diversificação na indústria cinematográfica e na televisão.

A live será transmitida no perfil do Instagram da ONG Array, focada na divulgação de obras de cineastas “de cor” (não brancos), a partir das 19h.

O evento é uma resposta da ONG ao comentário da escritora Antonia Pellegrino, criadora da vindoura série sobre a vereadora Marielle Franco, que disse ter escolhido o diretor José Padilha (“Tropa de Elite”) para o projeto porque “o Brasil não tem um Spike Lee ou uma Ava DuVernay”.

A lista tem 10 mulheres (Carol Rodrigues, Day Rodrigues, Everlane Moraes, Jessica Queiroz, Joyce Prado, Juliana Vicente, Renata Martins, Sabrina Fidalgo, Safira Moreira, Viviane Ferreira) e um homem (Gabriel Martins), mas apenas dois fizeram longa-metragem – Gabriel codirigiu o filme “No Coração do Mundo” (2019) e Viviane apresentou seu primeiro longa, “Um Dia com Jerusa”, em janeiro na Mostra de Tiradentes. As outras nove cineastas são curta-metragistas, com carreiras paralelas nas áreas de produção e roteiro, inclusive de séries.

Ava DuVernay também começou como curta-metragista e foi a primeira mulher negra a ganhar o prêmio de melhor direção em Sundance, por “Middle of Nowhere” (2012). Também foi a primeira diretora negra indicada ao Globo de Ouro e ao Oscar, por “Selma: Uma Luta pela Igualdade” (2014). E venceu o Emmy de Melhor Direção no ano passado pela minissérie “Olhos que Condenam” (When They See Us), da Netflix.

Seu próximo filme será a superprodução da Warner “Novos Deuses”, adaptação dos quadrinhos homônimos da DC Comics.




blank

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings