blank

Playlist indie: Veja 600 clipes de dreampop rock folk rap punk twee eletrônico underground moderno


O pulso subterrâneo do YouTube bate com vários ritmos nesta nova seleção da safra indie moderna, num giro por 600 vídeos de diferentes países, sotaques, sons, estilos, ao longo de um dia inteiro de música – são 24 horas de duração.

Trata-se de uma rodada completa entre gêneros musicais distintos, que abre e fecha com dreampop, da dupla austríaca HVOB (Her Voice Over Boys) e do projeto australiano prettything (da cantora Bella Venutti). Já a foto acima ilustra um destaque do miolo: o trio pós-punk multinacional Deep Tan, formado pela sobrinha de Osama Bin Laden, a herdeira da cervejaria Guinness e uma modelo francesa.

Estes são apenas três nomes da música alternativa, underground, independente e vital da lista abaixo, selecionada entre junho e setembro passados e organizada em playlists durante muitas madrugadas – pós-trabalho diário – para render o fluxo de discotecagem contínua que só precisa de um play – e de um bloqueador de anúncios do YouTube – para fluir sem sobressaltos.

Uma fluência várias vezes comprometida por vídeos que somem da noite para o dia, ao virar “privados” e fazer o trabalho de semanas precisar ser refeito, mudando sequências inteiras de “discotecagem”. Mesmo ao final, com tudo pronto, três clipes foram nada gentilmente para a malvada escuridão. Vencido pelo cansaço, o último a cair no bueiro de “It”, um folk do britânico David Ellis (ex-Razorlight), foi simplesmente trocado pela própria música para manter a sequência original.



Diferente das playlists anteriores, a nova coleção também vem sem “compêndio” (relacionando os artistas a seus respectivos países) para não encher a página com 600 nomes. Mas o Google continua funcionando para quem quiser se aprofundar nas possíveis descobertas apresentadas abaixo, que o YouTube prontamente identifica. São centenas de artistas novos, alguns não tão novos e até um punhado de veteranos alternativos. Boa viagem.



blank

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings