George R.R. Martin

Em quarentena, George R.R. Martin diz que terminará sexto volume de As Crônicas de Gelo e Fogo

A quarentena causada pela prevenção contra a pandemia do coronavírus também serve de incentivo para escritores e roteiristas se dedicarem exclusivamente ao trabalho. Entre eles, o escritor George R.R. Martin, que em seu blog pessoal prometeu se dedicar com mais afinco aos próximos livros de “As Crônicas de Gelo e Fogo”, que inspiraram a série “Game of Thrones”, e finalizar logo o sexto volume da saga, o sempre adiado “The Winds of Winter”.

O escritor de 71 anos reconheceu que está em grupo de risco, mas disse para os fãs não se preocuparem demais com ele. “Eu me sinto bem neste momento, e estamos tomando todas as precauções”, escreveu.

“Eu estou sozinho em uma locação isolada, com apenas um funcionário comigo. Não vou à cidade nem receberei ninguém. Para falar a verdade, estou passando mais tempo em Westeros do que no mundo real, escrevendo todos os dias”, continuou.

“As coisas estão bem sombrias nos sete reinos, mas não tão sombrias quanto elas podem se tornar aqui. Alguns dias, assistindo ao noticiário, eu não posso evitar de me sentir dentro de um livro de ficção científica”, disse também.

“Este não é o tipo de ficção científica que eu sonhava viver quando era uma criança, com cidades na Lua, colônias em Marte, robôs domésticos, carros voadores. Eu nunca gostei muito das histórias de pandemia”, admitiu.

George R.R. Martin já tinha dito que seus livros terão final diferente da adaptação televisiva. O controvertido desfecho de “Game of Thrones” foi realmente baseado em conversas entre o escritor e os roteiristas David Benioff e D.B. Weiss. Mas Martin, que faria pequenas alterações, decidiu mudar tudo após refletir sobre a exibição e a repercussão negativa da conclusão de “Game of Thrones”.

Para se ter noção de onde está a história nos livros, o último volume publicado terminava com a morte de Jon Snow.