Billie Eilish vira anjo caído com mensagem ambientalista em clipe infernal



A revelação do pop Billie Eilish lançou um novo clipe, “All the Good Girls Go to Hell”, em que se transforma em um anjo caído. Ao chegar na Terra, ela troca suas penas por asas de demônio, enquanto o inferno se manifesta ao seu redor.

O clipe dirigido por Rich Lee – o mesmo que transformou Lana del Rey em gigante no vídeo de “Doin’ Time” – mostra a anja Eilish caindo do céu direto num vazamento de petróleo, e conforme luta para se livrar e caminhar pelas ruas, o mundo pega fogo.

A letra de “All the Good Girls Go to Hell” fala em Lucifer, no fato de até Deus ter inimigos e que é melhor ter o diabo a seu lado na hora do pega pra capar. Mas a cantora sugere que se trata de metáfora. Tudo seria uma mensagem ambientalista – alusão, por exemplo, ao incêndio da Amazônia.



“Neste momento, existem milhões de pessoas ao redor do mundo implorando para os nossos líderes prestarem atenção. Nossa Terra está aquecendo em um ritmo sem precedentes, os icebergs estão derretendo, nossos animais estão sendo envenenados, nossas florestas estão queimando”, escreveu a artista em uma nota postada na descrição do vídeo no YouTube.

O fato é que “All the Good Girls Go to Hell” amplia as referências góticas da videografia da cantora. Indo mais longe que Garbage, para citar quem chegou perto, Billie Eilish está inventando um “death pop”, que mantém a imagem satânica do death metal, mas troca os urros do metal por sussurros melódicos e as guitarras distorcidas por beats e sintetizadores evocativos do rap/R&B/pop mais comercial.


Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings