Battlestar Galactica: Nova série do criador de Mr. Robot não será remake



Após o anúncio de lançamento da Peacock, plataforma de streaming da Comcast (leia-se NBCUniversal), revelar a produção de uma nova versão de “Battlestar Galactica”, o produtor responsável pelo projeto correu para o Twitter para acalmar os fãs.

A nova série está sendo desenvolvido por Sam Esmail, criador da premiada “Mr. Robot”, que se assume fã do remake desenvolvido por Ronald D. Moore em 2003. Em sua mensagem, ele garantiu que não faria um novo remake, simplesmente porque seria impossível aprimorar a perfeição da obra anterior. Em vez disso, descreve sua abordagem como uma “uma nova história” dentro da mitologia criada pela atração.

“Fãs de ‘BSG’, este não será um remake da série incrível de Ron D. Moore, porque… por que mexer com perfeição? Em vez disso, exploraremos uma nova história dentro da mitologia, mantendo-nos fiéis ao espírito da ‘Battlestar'”.

Ele completa a mensagem com a frase “So say we all!”, criada pela produção de Moore como um equivalente ao “amém” cristão.

A versão do século 21 de “Battlestar Galactica” era bem diferente da série original de 1978, concebida por Glen A. Larson. Apenas a premissa foi mantida.

Em todas as versões, a trama acompanha a jornada dos últimos remanescentes da humanidade, após um ataque catastrófico de Cylons (robôs no primeiro remake, alienígenas no original) destruir todas as 12 colônias do sistema solar. Galactica é a última nave de combate remanescente, comandando uma pequena frota de naves espaciais que carrega os sobreviventes em busca de um novo planeta habitável, de preferência a lendária 13º colônia humana, há muito considerada perdida e conhecida pelo nome de Terra.

A Universal chegou a cogitar iniciar uma franquia cinematográfica baseada na série. Quando foi originalmente anunciado, o filme seria uma adaptação da série clássica de 1978 – ou seja, ignoraria o cultuado remake de 2003 – e a direção estaria a cargo de Bryan Singer (“X-Men: Apocalipse”), mas essa abordagem acabou engavetada após os fãs da nova versão protestarem.



“Battlestar Galactica” também ganhou duas produções derivadas de curta duração, “Caprica” (de 2009), passada antes da destruição das 12 Colônias, e a websérie “Blood & Chrome” (de 2012, depois relançada como um telefilme completo), sobre a primeira guerra contra os Cylons.

A nova série ainda não tem nome oficial nem previsão de estreia. Não está claro se ela estará disponível para o lançamento da plataforma de streaming.

A Peacock tem sua inauguração agendada para abril de 2020.


Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings