Atriz de Legion será a heroína Espectral na série Watchmen


O roteirista-produtor Damon Lindelof, criador da série “Watchmen”, revelou em entrevista ao site IGN que a personagem vivida por Jean Smart (a Dra. Melanie Bird da série “Legion”) na produção da HBO é ninguém menos que Espectral (Silk Spectre, na versão original). Trata-se da principal personagem feminina dos quadrinhos de Alan Moore e Dave Gibbons, que foi vivida na adaptação cinematográfica de 2009 por Malin Akerman (“Billions”).

A personagem já apareceu no primeiro trailer divulgado como Laurie Blake, uma detetive do FBI. Ela não usa mais o sobrenome Jupiter (americanização do polonês Juspeczyk), que a associa a sua mãe heroína, a primeira Espectral dos anos 1940, adotando o nome da família do seu pai.

Nos quadrinhos, ela formou um triângulo romântico com o Dr. Manhattan e o Coruja e foi uma das poucas pessoas a saber a verdade por trás da conspiração de Ozymandias, que resultou na morte do Comediante e de Rorschach.


A trama vai se passar muitos anos após os eventos finais da trama original e encontrar os personagens bem mais velhos. Menos o Dr. Manhattan, que não envelhece. Quem também está no filme é Ozymandias, vivido por Jeremy Irons (“Liga da Justiça”). Mas até agora não houve menção ao Coruja.

O elenco escalado também inclui Tom Mison (estrela da série “Sleepy Hollow”), Yahya Abdul-Mateen II (“Aquaman”), Sara Vickers (“Endeavour”), Regina King (“American Crime”), Don Johnson (“Do Jeito que Elas Querem”), Tim Blake Nelson (“Colossal”), Louis Gossett Jr. (“Extant”), Andrew Howard (“Bates Motel”), Adelaide Clemens (“O Grande Gatsby”), Frances Fisher (“Resurrection”), Jacob Ming-Trent (“White Famous”), Hong Chau (“Pequena Grande Vida”) e as meninas Dylan Schombing (“Sharp Objects”), Lily Rose Smith (“The Vampire Diaries”), Skylar Brooks (“Saved in the City”) e Adelynn Spoon (estreante).

Escrita e criada por Damon Lindelof, a nova versão de “Watchmen” tem previsão de estreia para outubro.



blank

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings