Vingadores: Ultimato adia planos de superar Avatar com relançamento fraco


Os Vingadores podem ter derrotado Thanos, mas “Avatar” é um rival muito mais difícil de ser superado. O relançamento de “Vingadores: Ultimato” nos cinemas voltou a colocar o filme da Disney/Marvel no Top 10 das bilheterias dos Estados Unidos e Canadá, mas não rendeu o necessário para cumprir o objetivo do esforço comercial.

Ao todo, a nova versão rendeu US$ 5,5M na América do Norte. Com mais US$ 2,7M vindos do exterior, o quarto longa dos Vingadores agora está com US$ 2,73 bilhões de bilheteria mundial, menos de US$ 30M atrás de “Avatar”. Mas a diferença parece cada vez mais intransponível.

O relançamento com cena inacabada e material aleatório foi um último esforço para bater o recorde da sci-fi de James Cameron.

O material inédito não empolgou o grande público, engajando apenas marvetes febris. Nem parece que a obra teve horas e horas de cenas cortadas em sua edição final. Para piorar, a Disney nem sequer investiu em finalizar os efeitos da única sequência inédita incluída no caça-níquel – que, por sinal, não acrescenta nada ao resultado final.


Sem oferecer uma versão ampliada, como o próprio Cameron fez para esticar os rendimentos de “Avatar”, a Disney pode ter dado adeus à expectativa de recorde mundial.

A ironia da situação é que foi a diferença de estratégias que determinou a posição de cada filme. O relançamento de “Avatar” com 9 minutos de cenas “extras de verdade”, com efeitos visuais finalizados, faturou mais de US$ 30M em 2010, justamente a diferença que hoje separa os dois títulos.

Como a Disney já confirmou a data de lançamento de “Vingadores: Ultimato” em plataformas digitais para 30 de julho, a produção vai ficar no máximo somente mais quatro semanas em cartaz.

“Avatar” segue sendo o rei do mundo.



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings