Victoria Pedretti retorna na 2ª temporada da Maldição da Residência Hill, baseada em outro clássico literário



Victoria Pedretti, que interpretou Nell em “A Maldição da Residência Hill” (The Haunting of Hill House), vai retornar para a série de terror da Netflix em sua 2ª temporada. A própria atriz anunciou sua participação num vídeo postado na página da série no Twitter.

Ela é a primeira intérprete confirmada no elenco do segundo ano, que vai contar uma nova história com personagens diferentes.

Intitulada “The Haunting of Bly Manor”, a nova história será uma adaptação de “A Volta do Parafuso”, outro clássico do terror literário, assinado por Henry James em 1898. Pedretti vai viver Dani, a governanta de uma velha e afastada mansão, que é contratada para cuidar de dois jovens órfãos e começa a notar acontecimentos estranhos ao seu redor.

“A Volta do Parafuso” já teve muitas adaptações cinematográfica. A mais famosa é de 1961, o filme “Os Inocentes”, estrelada por Deborah Kerr. Mas também há uma versão brasileira recente, “Através da Sombra” (2015), com direção de Walter Lima Jr.

Por coincidência, o canal pago Freeform encomendou um piloto de série baseada no livro, que vinha sendo desenvolvido pela roteirista Alexandra McNally (“Under The Dome”), com produção de Josh Berman (“CSI”) para a Sony Pictures Television.


Além disso, ainda há uma nova versão prestes a chegar nos cinemas: “The Turning”, com Mackenzie Davis (“O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio”) no papel da babá e Finn Wolfhard (“Stranger Things”) como uma das crianças. A estreia do filme está marcada para janeiro de 2020 nos Estados Unidos.

Vale lembrar que a 1ª temporada foi uma adaptação de “The Haunting of Hill House”, livro de 1959 da escritora Shirley Jackson, que pode ser encontrado nas livrarias brasileiras como “A Assombração da Casa da Colina” (a tradução literal). A obra também já tinha sido adaptada para o cinema anteriormente: em 1963, quando ganhou o título nacional de “Desafio do Além”, e em 1999, ano em que virou “A Casa Amaldiçoada”.



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings