The Gifted: Série derivada dos filmes dos X-Men é cancelada pela Fox



A Fox anunciou o cancelamento de “The Gifted”, série derivada dos filmes dos “X-Men”, após duas temporadas.

A atração perdeu muito muito público após a 1ª temporada, vista por 3,31 milhões de espectadores ao vivo nos EUA, apesar de melhorar em qualidade durante seu segundo ano – subiu de 74% para 82% de aprovação no Rotten Tomatoes. Já a média de público caiu para 1,95 milhão – e foi de 1 para 0,59 ponto na demo (a faixa demográfica de adultos entre 18 e 49 anos, mais relevante para os anunciantes).

Apesar disso, a série contava com uma arma “secreta”: a internet. Quando somadas as exibições em plataformas online e gravação digital, sua audiência atingia 8,3 milhões de espectadores.

Isto pode ser um fator a ser considerado pela Disney, que, de uma hora para outra, viu diminuir drasticamente as produções realizadas pela Marvel Television – além de “The Gifted”, foram canceladas todas as cinco séries da produtora na Netflix. Atualmente, o estúdio produz apenas três séries live-action: “Fugitivos” (Runaways) na plataforma Hulu, “Manto e Adaga” (Cloak & Dagger) no canal pago Freeform e “Legion”, que vai acabar em sua 3ª temporada no FX.

Com o cancelamento de “The Gifted” e o anunciado encerramento de “Legion”, a Marvel não ficará com nenhuma herança televisiva da Fox, podendo optar por um reboot completo, assim como o estúdio de cinema planeja fazer com os “X-Men” na tela grande.



Apesar disso, há fãs fazendo campanha para que a Disney salve “The Gifted” num de seus canais ou plataformas. Os número de internet da série podem fazer diferença nessa decisão.

Assim como a recém-cancelada série “Rel”, “The Gifted” também era coproduzido pela 20th Century Fox Television, que agora é da Disney. Com os dois cancelamentos, a rede Fox, que se tornou independente do estúdio, mostra-se inclinada a cortar as séries de sua antiga produtora, que não deverão fazer mais parte de sua nova programação.

“The Gifted” tinha personagens dos quadrinhos dos “X-Men”, mas o centro da trama de Matt Nix (criador também da série “Burn Notice”) eram personagens inéditos.

A atração se passava numa realidade distópica, onde mutantes são caçados pelo governo americano, e girava em torno de uma família em fuga, após seus filhos manifestarem poderes. Perseguidos por uma equipe militarizada, eles encontram refúgio com um grupo de mutantes rebeldes.

A família era formada por Amy Acker (série “Pessoa de Interesse/Person of Interest”), Stephen Moyer (série “True Blood”) e os adolescentes Natalie Alyn Lind (série “The Goldbergs”) e Percy Hynes White (série “Between”). Já os mutantes rebeldes incluíam os X-Men Blink (Jamie Chung, da série “Gotham”), Pássaro Trovejante (Blair Redford, da séries “The Lying Game”), Polaris (Emma Dumont, da série “Aquarius”) e as infames irmãs gêmeas Cuckoo (Skyler Samuels, de “Scream Queens”, em três papéis), além de Eclipse (Sean Teale, da série “Reign”), concebido especialmente para a série.



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings