Sony vende plataforma Crackle, que será relançada com anúncios

Na contramão de seus concorrentes, a Sony Pictures Television vendeu sua plataforma de streaming, a Crackle.

A Chicken Soup for the Soul (CSS), empresa de Connecticut que fez fortuna com livros de autoajuda, comprou a participação majoritária no serviço. Mas a Sony continuará como parceira minoritária.

Juntas, as duas empresas irão operar uma nova joint venture, a Crackle Plus (Crackle+, como Disney+ (Disney Plus) e Apple TV+), que abrigará o serviço de streaming. Além do conteúdo original da Crackle e de filmes e séries da Sony, o reboot da plataforma também incluirá o material da Popcornflix, Popcornflix Kids, Popcornflix Comedy, Frightpix, Espanolflix e Truli, plataformas da CSS.

Diferente da Crackle original, a Crackle Plus não será baseado em assinaturas. O projeto irá oferecer acesso gratuito a todos os interessados, em troca da exibição de anúncios pagos. Esse formato é chamado de AVOD, abreviatura de ad-supported video on-demand, e já vinha sendo explorado pela CSS em suas plataformas.

A Sony vai manter a propriedade das séries originais do Crackle, como “Start Up” e “The Oath”, além de oferecer a tecnologia da plataforma por meio de sua subsidiária de mídia, a Sony Electronics.

De acordo com as empresas, a Crackle Plus oferecerá mais de 38,5 mil horas de programação e começará com uma audiência mensal de 10 milhões de usuários ativos nos Estados Unidos. Além disso, oferecerá produções independentes distribuídas pelo app Pivotshare.

Com a mudança, a Sony busca encontrar um modelo alternativo de crescimento, já que não conseguiu competir com a estratégia agressiva de lançamentos da Netflix e Amazon, que estão gastando bilhões para produzir séries originais.

Em comunicado, o presidente da Sony TV, Mike Hopkins, disse acreditar que existe uma demanda crescente por plataformas gratuitas, financiadas por anúncios, à medida que os consumidores começam a se cansar com a proliferação de ofertas de assinatura. A própria Amazon chegou a lançar seu AVOD, o IMDb Freedive, enquanto a Viacom investiu em janeiro na compra da Pluto TV, um serviço patrocinado por anúncios. “Com o aumento da demanda por conteúdo de vídeo online gratuito, bem como a necessidade de os anunciantes alcançarem os consumidores, as redes de AVOD, como a Crackle Plus, estão posicionadas para um crescimento substancial”, disse ele.

A Crackle foi fundada em 2004 como Grouper e vendida para a Sony em 2006. Mas só foi lançar seu primeiro produto original em 2012: o programa de Jerry Seinfeld “Comedians in Cars Getting Coffee”, que se mudou para a Netflix no início de 2018.

Com o negócio, a Sony recebeu US$ 5 milhões, que podem ser convertidos em ações da CSS em até cinco anos. A expectativa é que a compra valorize as ações da CSS.