Maior estreia da semana, Dumbo chega em mais de mil telas



Onze filmes chegam aos cinemas nesta quinta (28/3), mas apenas um tem distribuição ampla. “Dumbo” estreia em mais de mil telas. Para dar ideia da diferença, o segundo filme de maior distribuição será exibido em 85 salas. Já o terceiro tem lançamento em 29 cinemas. O melhor da programação? É invisível.

Nem é o caso de lamentar muito, já que a maioria dos lançamentos pode ser vista mais tarde em streaming sem grande perda – principalmente para o bolso do consumidor.

O único lançamento que combina com tela grande é mesmo “Dumbo”, graças à direção de arte de encher os olhos. Mesmo assim, trata-se do trabalho mais convencional da carreira de Tim Burton, mais leve que a pena usada pelo elefantinho como estímulo para voar. Parte remake, parte continuação da animação de 1941, o filme é uma contradição ambulante, que segue à risca a fórmula cinematográfica da Disney, ao mesmo tempo em que ataca a cobiça corporativa do estúdio – o parque Dreamland, do vilão da história, é uma Disneylândia óbvia.

Acabou dividindo a crítica internacional, com apenas 51% de aprovação no Rotten Tomatoes. Mas vale lembrar que esta também foi a nota obtida por “Alice no País das Maravilhas” em 2010, quando Burton lançou a tendência dos remakes live-action das fábulas da Disney – alimentando a ganância que ele agora alfineta.

Os dois filmes americanos do circuito intermediário são a sci-fi “A Rebelião”, que tem quase a mesma premissa da série “Colony”, e o drama “Vox Lux”, que junta tiroteio em escola, culto a celebridades e música pop. Ambos caem em lugares comuns, mas “Vox Lux” ao menos tem o talento de Natalie Portman.

Graças à mediocridade hollywoodiana, o destaque de ficção da programação é um remake. A trama de “Gloria Bell” já foi exibida no país em janeiro de 2014, quando se chamava apenas “Gloria”. A versão americana tem o mesmo diretor, o chileno Sebastián Lelio (que venceu o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro por “Uma Mulher Fantástica”), e traz Julianne Moore no papel de cinquentinha animada que rendeu à Paulina García o Urso de Prata de Melhor Atriz no Festival de Berlim de 2013.

A programação inclui ainda muitas coproduções brasileiras. Ignore as que envolvem argentinos, mas, se for jovem, arrisque a portuguesa. “António Um Dois Três” pode divertir quem vê com bons olhos a irresponsabilidade juvenil.

Para ressaltar que o problema não é o cinema argentino, a comédia “Minha Obra-Prima” é o segundo melhor lançamento de ficção da semana. Sátira mordaz ao mercado de arte, o filme é dos mesmos diretor e roteirista do sensacional “O Cidadão Ilustre (2016), os irmãos Gastón e Andrés Duprat.

O principal filme da programação, porém, não é uma obra de ficção.

“The Cleaners” é muito mais que o destaque da semana. É programa obrigatório por questionar um tema pouco debatido: a censura na internet. Ela é disseminada de forma ampla e constante, e afeta todo mundo. Quem nunca teve post censurado nas redes sociais? Os responsáveis não são softwares, mas funcionários (de empresas terceirizadas que podem se localizar na Indonésia) que decidem o que pode ou não ir ao ar em todo o planeta, às vezes seguindo regras, muitas vezes por critérios de suas próprias cabeças e geralmente em idiomas que não dominam.

Premiado em vários festivais internacionais (inclusive no É Tudo Verdade), considerado o documentário do ano na Europa (Prix Europa 2018) e com 93% de aprovação no Rotten Tomatoes, o filme dos alemães Hans Block e Moritz Riesewieck, com coprodução brasileira (!), ilumina o lado escondido do Facebook, Instagram, Twitter e outros recônditos, onde espreitam os personagens mais obscuros da rede mundial de computadores, para trazer à tona o processo e as pessoas por trás do desaparecimento diário de milhares de posts e artigos da internet. O acesso a esse subterrâneo não é apenas revelador. É estarrecedor. Falta cultura, sobra preconceito e jorra motivação política e religiosa na edição da maior parte do conteúdo da Internet.

De forma inversamente proporcional à sua importância, “The Cleaners” tem uma das piores distribuições da semana. Boa sorte se encontrar em algum cinema – entra em circuito invisível, ou seja, durante horários alternativos, em exibições intercaladas com outros filmes “de arte”.

Confira abaixo as sinopses e os trailers de todos os 11 lançamentos da semana.

Dumbo | EUA | Fantasia

1919, Joplin, Estados Unidos. Holt Farrier (Colin Farrell) é uma ex-estrela de circo que, ao retornar da 1ª Guerra Mundial, encontra seu mundo virado de cabeça para baixo. Além de perder um braço no front, sua esposa faleceu enquanto estava fora e ele agora precisa criar os dois filhos. Soma-se a isso o fato de ter perdido seu antigo posto no circo, sendo agora o encarregado em cuidar de uma elefanta que está prestes a parir. Quando o bebê nasce, todos ficam surpresos com o tamanho de suas orelhas, o que faz com que de início seja desprezado. Cabe então aos filhos de Holt a tarefa de cuidar do pequenino, até que eles descobrem que as imensas orelhas permitem que Dumbo voe.

A Rebelião | EUA | Sci-fi

Em um bairro de Chicago, quase uma década após uma invasão alienígena no planeta Terra, acompanhamos como é a vida das pessoas nos dois lados do conflito, o dos colaboradores e o dos dissidentes.

Vox Lux – O Preço da Fama | EUA | Drama



Celeste (Natalie Portman) é uma menina que sobrevive após uma grande tragédia, o que a torna conhecida nacionalmente. Após um tempo, ela se lança como cantora e alcança o estrelato.

Gloria Bell | EUA | Drama

Uma mulher sozinha com 50 anos e espírito livre (Julianne Moore) ocupa suas noites buscando amor em boates para adultos solteiros em Los Angeles. Sua frágil felicidade muda no dia em que conhece Arnold (John Turturro). Sua intensa paixão deixa ela alternando entre esperança e desespero, até ela descobrir uma nova força e que agora, surpreendentemente, ela consegue brilhar mais do que nunca.

Minha Obra-Prima | Espanha, Argentina | Comédia

Renzo Nervi (Luis Brandoni) já foi um pintor bem-sucedido em Buenos Aires, mas hoje não consegue vender um único quadro. Seu amigo Arturo Silva (Guillermo Francella), negociante de obras de arte, faz o possível para valorizar os quadros de Nervi, porém a personalidade arrogante do artista não ajuda nos negócios. Um dia, um acidente inesperado proporciona aos dois uma possibilidade inédita (e ilegal) de ganharem dinheiro dentro do corrupto mercado de obras de arte.

António Um Dois Três | Portugal, Brasil | Drama

Lisboa, Portugal. António (Mauro Soares) é um jovem que, após passar a noite fora de casa, é cobrado pelo pai devido a uma carta anônima que recebeu, dizendo que o filho abandonou a faculdade há cerca de um ano. Diante da situação, António foge de casa e encontra refúgio na casa de Mariana (Mariana Dias), uma ex-namorada. Lá ele conhece Débora (Deborah Viegas), uma brasileira que alugou um quarto por um único dia, com quem acaba se envolvendo.

Happy Hour – Verdades e Consequências | Argentina, Brasil | Drama

Após um acidente, Horácio (Pablo Echarri) muda completamente suas perspectivas de vida e decide confessar para sua esposa, Vera (Letícia Sabatella), que deseja ter relações com outras pessoas, embora ainda queira continuar o casamento. Confusa e inserida em um momento profissionalmente complicado, ela não gosta da ideia mas percebe que precisa, mais do que nunca, continuar seu casamento.

Uma Viagem Inesperada | Argentina, Brasil | Drama

Pablo (Pablo Rago) é um engenheiro argentino que mora no Brasil. Ele trabalha como responsável pela criação de uma nova plataforma de petróleo numa empresa localizada no Rio de Janeiro. Morar longe de sua família é algo que gerou certo afastamento. Porém, quando seu filho passa por um problema, Pablo viaja para seu país natal em busca de soluções.

Os Últimos Dias de Copacabana Jack | Brasil | Policial

Vivendo em um pequeno apartamento situado no coração de Copacabana, um sexagenário solitário cumpre rigorosamente sua monótona rotina todos os dias. Quando ele assiste na TV sobre diversas investigações que apontam o aparecimento de misteriosos pacotes manchados de sangue nas ruas, percebe que seus hábitos podem ser o segredo para desvendar a identidade de um assassino em série.

The Cleaners | Alemanha, Brasil | Documentário

No sombrio submundo da internet, quem é responsável por controlar o que vemos e o que pensamos? Um olhar analítico sobre a indústria virtual responsável por fazer limpezas digitais, apagando e controlando os conteúdos que ficam visíveis online.

Inezita | Brasil | Documentário

Tendo comandado o programa “Viola, Minha Viola” por mais de 30 anos, Inezita Barroso foi um dos grandes expoentes da música popular brasileira. No entanto, a caminhada até o sucesso não foi nada fácil. Nascida em 1925, a artista teve que romper com preconceitos e estigmas que excluíam as mulheres da cena musical sertaneja do país, além de batalhar muito para mostrar seu valor como pesquisadora folclórica.



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings