Netflix cancela American Vandal e evidencia tendência preocupante

Más notícias para quem é assinante da Netflix. A plataforma cancelou mais uma série. Desta vez foi a hilária e premiada comédia “American Vandal”, que chega ao fim após sua 2ª temporada.

O cancelamento evidencia uma tendência preocupante. A Netflix já cancela mais do que renova suas séries. Foram inúmeros cortes neste ano, inclusive de supostos pesos-pesados, como “Punho de Ferro”, “Luke Cage”, “House of Cards” e “Orange Is the New Black”.

O quadro é oposto ao descrito em julho do ano passado pelo CEO do serviço de streaming, Reed Hastings, que afirmou, em entrevista à CNBC, que a Netflix cancelava “pouquíssimas séries”.

Chama atenção, em especial, quais séries estão sendo canceladas e quais ganham renovação. Execradas pela crítica, “Friends from College” e “Insatiable” foram renovadas. Exaltadas pela crítica, “Everything Sucks!” e “American Vandal” foram canceladas.

E o discurso de que a Netflix não se importa com audiência foi para o saco. Cancelamentos como os de “Punho de Ferro” e “American Vandal” aconteceram logo após a disponibilização das segundas temporadas de ambas as séries. A plataforma resolveu não dar chances para o público assisti-las ao longo do tempo, como costumava alegar para justificar investimento em produções mais complexas que as exibidas na TV aberta. A impressão que fica é bastante clara: ou a série rende maratona imediata ou vai para o abatedouro.

Outro detalhe: “Luke Cage”, “Punho de Ferro” e a também cancelada “All About the Washington”, assim como “American Vandal”, eram produções do ABC Studios, estúdio televisivo da Disney, que vai lançar uma plataforma rival em 2019. O cancelamento de tantas atrações do mesmo estúdio pode ser uma grande coincidência, mas também retaliação.

“American Vandal” tinha 97% de aprovação e elogios rasgados da imprensa norte-americana, que a considerava uma das séries de comédia mais inovadoras dos últimos tempos.

A atração acompanhava dois destemidos documentaristas do Ensino Médio, que tentam defender inocentes e desvendar crimes hediondos num tom de paródia ao formato das séries de documentários sobre crimes reais (como “Making a Murderer”), atualmente em voga na própria Netflix.

Na 1ª temporada, os protagonistas Peter Maldonado (Tyler Alvarez, da série “Every Witch Way”) e Sam (Griffin Gluck, de “Red Band Society”) investigaram o caso de um aluno expulso por supostamente pichar 27 carros do estacionamento da escola com desenhos de pênis. Na 2ª temporada, encararam um mistério ainda maior: descobrir quem contaminou a cantina para provocar um festival de diarreia na escola.

Criada por Tony Yacenda e Dan Perrault (que fizeram juntos a série “Neon Arcade”), a atração foi indicada ao Emmy e venceu o prêmio Peabody, uma das mais prestigiadas premiações artísticas dos Estados Unidos.

Foi cancelada pouco mais de um mês após a exibição da 2ª temporada.