Diretor explica porque tirou o nome dos X-Men do título original do novo filme dos heróis



A divulgação dos primeiros trailer e pôster de “X-Men: Fênix Negra” chamou atenção para um detalhe curioso. O filme não traz “X-Men” em seu título original nos Estados Unidos, sendo chamado apenas de “Dark Phoenix” (Fênix Negra). Isto passou batido pelos fãs brasileiros, já que a Fox continua divulgando o filme no Brasil com o nome dos heróis mutantes.

O diretor, produtor e roteirista Simon Kinberg explicou o motivo desta mudança em entrevista ao site Collider.

“Com ‘Fênix Negra’, abandonamos o ‘X-Men’ pelo mesmo motivo que fizemos isso com ‘Logan’. Queríamos sinalizar que esse era um filme diferente do que os espectadores já viram da franquia”, argumentou.

Kinberg ainda acrescentou que buscava também um distanciamento de “X-Men: O Confronto Final”, filme de 2006 que tentou adaptar o mesmo arco de quadrinhos que será contado em “Fênix Negra”, no qual a heroína Jean Grey (Sophie Turner) é possuída por uma entidade maligna e poderosa.

“Eu trabalhei em ‘O Confronto Final’, e sempre me incomodou que o filme não tinha ‘Fênix Negra’ no título. Dessa vez, quisemos colocar para sinalizar para os fãs de quadrinhos que esta é a adaptação que eles queriam”, continuou o diretor.

Comentários negativos das primeiras sessões de teste discordam desta última afirmação. De todo modo, vale atentar para a outra comparação feita por Kinberg.


“Logan” é o nome do personagem e o título de seu filme seguiu a lógica de sua franquia solo, já que o lançamento anterior, em inglês, era “The Wolverine”. Wolverine ou Logan, o personagem é o mesmo. O filme é dele.

Já os filmes dos “X-Men” sempre tiveram o nome dos heróis em seus títulos – “X-Men: Apocalipse”, “X-Men: Dias de um Futuro Esquecido”, etc.

Assim como “Dias de um Futuro Esquecido”, “Fênix Negra” é nome de um arco bastante conhecido dos quadrinhos, a “Saga da Fênix Negra”. Mas não é o nome da personagem. Jean Grey até se torna Fênix, mas o adjetivo Negra só existiu nos quadrinhos em referência a esta saga.

Deste modo, a opção pelo título “Fênix Negra” não segue o padrão de “Logan”. Não é o novo filme de Fênix Negra. É o único (vá lá, único do reboot) com a personagem. Prova disso é que, se houver outro filme dos mutantes, ele não será chamado de “Fênix Negra 2”, como, por exemplo, “Deadpool 2”. Não, será outro filme dos X-Men.

Desta vez, os tradutores brasileiros acertaram em manter o título composto, “X-Men: Fênix Negra”, para o lançamento nacional.

O novo filme dos X-Men estreia em junho de 2019 nos EUA e, desde o último adiamento, ainda não tem previsão para chegar nos cinemas brasileiros.



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings