Timothy Dalton vai liderar os super-heróis da Patrulha do Destino em série da DC Comics


O ator Timothy Dalton, que foi o agente secreto James Bond nos anos 1980 e recentemente estrelou a série de terror “Penny Dreadful”, vai comandar a Patrulha do Destino. Ele vai viver o Dr. Niles Caulder, mais conhecido pela alcunha de O Chefe, em “Doom Patrol”, a nova série de super-heróis da DC Comics.

Originalmente considerada um spin-off de “Titans”, série dos Novos Titãs que estreia em outubro, a atração vai surgir com novo elenco em sua série própria. A maior mudança é justamente no papel do Chefe, que vai aparecer em “Titans” vivido por Bruno Bichir (série “Narcos”). Os dois atores nem sequer compartilham a mesma etnia.

As mudanças de intérpretes nos demais personagens passam mais despercebidas, visto que um deles usa bandagens (o Homem Negativo) e outro é uma criação robótica (o Homem-Robô). Curiosamente, a única que não se disfarça, a Mulher-Elástica, terá a mesma intérprete tanto em “Titans” quando na série própria da Patrulha, April Bowlby (a Stacy de “Drop Dead Diva”).

Os demais intérpretes são Diane Guerrero (a Martiza de “Orange Is the New Black”) como Crazy Jane, Brendan Fraser (da trilogia “A Múmia” e “Viagem ao Centro da Terra”) como o Homem-Robô e Joivan Wade (Rigsy na série “Doctor Who”) no papel do herói Ciborgue. Ainda falta definir o Homem-Negativo, que será vivido por Dwain Murphy (visto em dois episódios de “Star Trek: Discovery”) em “Titãs”. Eles enfrentarão Alan Tudyk (da série “Powerless”) como o vilão Sr. Ninguém.


A Patrulha do Destino é considerado os X-Men da DC Comics, mas o mais correto, pela ordem de lançamento, seria chamar os X-Men de Patrulha do Destino da Marvel. Criados pelos roteiristas Arnold Drake, Bob Haney e o artista Bruno Premiani, os heróis da DC chegaram às bancas três meses antes de Stan Lee e Jack Kirby introduzirem os X-Men em 1963. E, desde sua concepção, o grupo se tornou conhecido por causar mais medo e repulsa que as reações positivas associadas aos super-heróis. Isto porque seus integrantes são pessoas que adquiram poderes após sofrerem acidentes ou tramas terríveis, ficando mutiladas ou enlouquecidas no processo.

A sinopse oficial da série reflete essa premissa. Diz o texto: “Os membros da Patrulha do Destino sofreram acidentes horríveis que lhes deram habilidades sobre-humanas, mas também os deixaram marcados e desfigurados. Traumatizados e oprimidos, a equipe encontrou um propósito através do Chefe, que os reuniu para investigar os fenômenos mais estranhos existentes e proteger a Terra contra o que eles encontram”.

A série está sendo desenvolvida por Jeremy Carver, roteirista de “Supernatural” e criador de “Frequency”, e fará parte do universo DC administrado pelo produtor Greg Berlanti. Com a encomenda da nova série, o produtor-roteirista estará à frente de sete adaptações de quadrinhos da DC Comics, sem contar as animações, como “Ray: Freedom Fighters” e “Constantine: City of Demons”, e baterá o recorde de 14 séries em produção simultânea.

Ainda sem previsão de estreia, “Doom Patrol” fará parte da plataforma de streaming DC Universe, que será lançada em 15 de setembro nos Estados Unidos.



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings