Petição junta mais de 100 mil pessoas para que Netflix desista de lançar série

O trailer da série “Insatiable”, disponibilizado na semana passada, não agradou nadinha o público americano. A comédia adolescente foi acusada de gordofobia e “body-shaming” — algo como “humilhação corporal” – , porque mostra a atriz Debby Ryan sofrendo bullying por ser gorda, mas avança no tempo para transformá-la em magra, bela e vingativa.

A rejeição fez com que mais de 100 mil pessoas assinassem uma petição on-line para que a Netflix desista de lançar a produção.

“Por muito tempo, as narrativas falaram às mulheres e jovens garotas impressionáveis que, para ser popular, ter amigos, para se tornar desejada pelo olhar masculino e, em alguma medida, para ser um ser humano de valor, é preciso ser magra”, escreveu Florence, autora da petição, para justificar sua iniciativa. “Ainda temos tempo para impedir que esta série seja lançada e cause a devastação de insegurança nas mentes de jovens meninas que irão pensar que, para serem felizes e valiosas, precisam perder peso.”

Ryan, que interpreta a personagem, defendeu “Insatiable” nas redes sociais, dizendo que “se preocupa profundamente” com o modo como os corpos femininos são “humilhados e policiados na sociedade”. “Nos últimos dias, vi quantas vozes são protetoras e potentes sobre os temas que aparecem na história”, escreveu a atriz no Twitter.

“Fui atraída pela proposta dessa série sobre o quão difícil e assustador pode ser existir em um mundo com o seu corpo, seja porque você está sendo elogiada ou criticada por seu tamanho. E também sobre como é rezar para ser ignorada porque isso é mais fácil do que ser vista.”

“Espero que os fãs esperam e assistam a série antes de julgar”, acrescentou.

Criada por Lauren Gussis (roteirista de “Dexter”), “Insatiable” estava sendo desenvolvida na rede CW, que não aprovou o piloto, antes de chegar na Netflix. A prévia disponibilizada pela plataforma é cheia de momentos ultrajantes, no melhor estilo “Heathers” (o filme cultuado também conhecido como “Atração Mortal” no Brasil), chamando a estreia para 10 de agosto.

Apesar dos protestos barulhentos, algumas pessoas têm defendido o uso da comédia para lidar com questões como bullying e a pressão pela magreza.

De todo modo, vale observar que esta não é a primeira série de comédia sobre o tema produzida neste ano. Lançada em junho pelo canal pago americano AMC, “Dietland” também acompanha uma gordinha (Joy Nash) vítima de body-shaming, que se junta a feministas radicais numa trama mirabolante de vingança. A diferença é que ela não fica magra da noite para o dia.