Advogado muppet defende Crimes em Happytime de processo dos produtores de Sésamo



Os executivos do estúdio STX aproveitaram o processo dos produtores do programa infantil “Sésamo” (que os mais velhos lembram como “Vila Sésamo”) para fazer propaganda de seu filme, “Crimes em Happytime” (The Happytime Murders).

O processo foi aberto na quinta-feira (24/5) na corte federal de Nova York com o argumento de que a associação que o filme faz com a série de animação para crianças, por meio de seu slogan, “causa um dano irreparável” a “Sésamo”.

“Cenas da sinopse mostram uma linguagem grosseira usada pelos humanos e pelas marionetes, o uso de drogas por parte de humanos e marionetes, marionetes que se prostituem ou oferecem seus serviços a humanos, armas e violência e relações sexuais entre marionetes, cujo ponto alto é uma cena em que se vê uma marionete ejacular copiosa e prolongadamente”, acrescenta o documento.

As descrições correspondem a cenas vistas no primeiro trailer da produção.

No filme, a atriz Melissa McCarthy interpreta uma policial que investiga uma série de assassinatos de fantoches e, durante o caso, encontra marionetes apresentados como prostitutas e viciados.


Além de se recusarem a modificar voluntariamente a campanha de marketing, que tem o slogan “No Sesame. All Street” (Nada de Sésamo, só rua), os executivos da STX responderam ao processo com um comunicado de seu advogado, um muppet chamado Fred.

“A STX adorou a ideia de trabalhar de perto com Brian Henson e a Jim Henson Company para contar a história jamais contada da vida ativa dos bonecos de Henson, quando eles não estão se apresentando na frente das crianças. ‘Crimes em Happytime’ é o resultado feliz dessa colaboração e estamos incrivelmente satisfeitos com a reação inicial ao filme e no quão bem o trailer foi recebido por seu público alvo. Embora estejamos decepcionados com o fato de ‘Sésamo’ não compartilhar a nossa diversão, estamos confiantes em nossa posição legal. Estamos ansiosos para apresentar os espectadores adultos aos nossos adoráveis ​​personagens sem remorso neste verão”, diz a nota assinada por Fred, “advogado da STX Entertainment”, acompanhada por um foto do fantoche (imagem acima).

Nos bastidores, os advogados reais da STX parecem estar levando o processo um pouco mais a sério. David Halberstadter escreveu uma longa carta na qual afirma não acreditar que qualquer pessoa possa confundir os mundos da “Sésamo” com o de “Happytime”.

Halberstadter lembra ainda que a própria “Sésamo” tem um longo histórico de parodiar outras produções, inclusive séries voltadas para o público adulto, como “Orange is the New Black” e “Game of Thrones”.



Pedro Prado é cinéfilo, fã de séries e quadrinhos, fotógrafo amador e bom amigo da vizinhança.



Back to site top
Change privacy settings