Kaya Scodelario será esposa do famoso serial killer Ted Bundy em filme com Zac Efron



A atriz Kaya Scodelario (“Maze Runner: A Cura Mortal”) entrou no filme “Extremely Wicked, Shockingly Evil and Vile”, cinebiografia de Ted Bundy, um dos serial killers mais famosos dos Estados Unidos. Ela vai viver a esposa do assassino vivido por Zac Efron (“Baywatch”).

O filme tem direção de Joe Berlinger, conhecido por realizar a trilogia de documentários “Paradise Lost”, que acabou ajudando a libertar três jovens presos injustamente após o assassinato ritual de crianças em West Memphis. O caso rendeu comoção nacional, porque eles foram condenados por serem fãs de heavy metal.

Além destes e outros documentários, ele dirigiu apenas um filme de ficção há 17 anos, o terror “A Bruxa de Blair 2: O Livro das Sombras” (2000), que, em retrospectiva e comparado ao novo “Bruxa de Blair” (2016), não era tão ruim assim.

O roteiro é de Michael Werwie (do vindouro suspense “Lost Girls”, com Sarah Paulson) e a produção está a cargo de Nicolas Chartier, responsável pelos filmes premiados no Oscar “Guerra ao Terror” (2009) e “Clube de Compra Dallas” (2013).



Ted Bundy assumiu a culpa pelo assassinato de pelo menos 30 mulheres, cometidos em sete estados americanos diferentes, entre 1974 e 1978 — entretanto, as investigações apontam que o número de vítimas pode ter sido muito maior. Ele foi preso pela primeira vez em 1975, quando a polícia ainda não sabia a extensão de seus crimes, escapou e só foi detido definitivamente em 1978. Condenado à pena de morte, passou mais de uma década na prisão, até ser executado em 1989.

A vida de Bundy já inspirou alguns filmes, a maioria feita para a TV e nenhum particularmente memorável.

“Extremely Wicked, Shockingly Evil and Vile” também conta no elenco com Lily Collins (“O Mínimo para Viver”), como uma namorada de Bundy, e John Malkovich (“Horizonte Profundo: Desastre no Golfo”), como o juiz que o condenou.

A produção ainda não tem previsão de estreia.



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings